Novos dados levam defesa a acreditar na libertação imediata dos arguidos da Operação Zorro

PorFretson Rocha, Rádio Morabeza,5 mar 2018 12:05

Detidos no âmbito da "Operação Zorro"
Detidos no âmbito da "Operação Zorro"

A justiça brasileira terá encerrado o procedimento criminal contra os três brasileiros e o francês, presos em São Vicente, acusados de tráfico internacional de droga e associação criminosa, no âmbito da operação Zorro. A informação foi avançada esta segunda-feira pela defesa, à Rádio Morabeza.

De acordo com Osvaldo Lopes, um dos advogados do processo, a polícia do Brasil não terá encontrado indícios que permitam associar a tripulação presa em Cabo Verde ao tráfico dos 1.157 kg de cocaína escondidos no veleiro alvo de buscas, na baía do Porto Grande, em Agosto do ano passado.

Segundo a defesa dos arguidos brasileiros presos na Riberinha, a conclusão consta de um relatório que terá sido entregue ao Ministério Público cabo-verdiano há mais de dez dias.

“É um relatório fundamentado da Polícia Federal brasileira, em que, no fundo, há um arquivamento do processo relativamente aos três brasileiros, ao capitão e mais outros arguidos no processo no Brasil, em que se conclui que, efectivamente, eles não tinham conhecimento dessa operação montada, segundo a Polícia Federal, pelo Fox [alegado dono do barco] e outros ingleses. Por este motivo, segundo este relatório, terá sido encerrado o procedimento criminal contra os brasileiros”, explica.

“Essa investigação chegou à conclusão que, efectivamente, os três brasileiros e o capitão não tiveram conhecimento ou qualquer participação nessa operação e que terão sido usados por essa quadrilha internacional”, acrescenta.

Osvaldo Lopes considera que o relatório das autoridades brasileiras deita por terra toda a fundamentação que mantém os arguidos em prisão preventiva na cadeia da Ribeirinha.

“Tendo em conta as informações chegadas agora do Brasil, não seria de espantar que o juiz tomasse essa decisão de os colocar em liberdade para aguardar julgamento, porque a matéria que fundamenta a acusação cai quase toda por terra”, considera.

Perante esta situação, os familiares pedem agilização para que os acusados possam aguardar o desenrolar do processo em liberdade, apesar de o julgamento estar marcado já para o próximo dia 12 de Março. João Dantes, pai de Rodrigo Dantes, um dos arguidos, falava esta manhã à Morabeza.

“Apelamos às autoridades de cabo Verde que agilizem o processo, com a chegada do documento, e termos os brasileiros soltos para que possam responder ao processo em liberdade. É injusto manter pessoas presas há tanto tempo por um crime que não cometeram”, entende.

O caso refere-se à operação policial que, a 23 de Agosto de 2017, culminou na apreensão de 1157 quilos de cocaína, na sequência de uma busca efectuada a um veleiro de bandeira britânica, atracado na Marina do Mindelo. A embarcação, de nome Rich Harvest, com origem no Natal, Brasil, tinha acondicionados no casco 1063 pacotes de droga.

Durante a operação “Zorro”, foram presos quatro indivíduos do sexo masculino, com idades compreendidas entre os 25 e 49 anos, três dos quais de nacionalidade brasileira e um francês.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha, Rádio Morabeza,5 mar 2018 12:05

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  22 set 2018 3:22

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.