Julgamento da 'Operação Zorro' começa hoje

PorExpresso das Ilhas, Lusa,12 mar 2018 6:56

​O julgamento dos quatro tripulantes do veleiro apreendido no Mindelo, em 2017, com mais de uma tonelada de cocaína, proveniente do Brasil, começa hoje, no tribunal da comarca da ilha de São Vicente.

Em Agosto do ano passado, a Polícia Judiciária (PJ) de Cabo Verde apreendeu 1.157 quilos de cocaína num iate atracado no Porto Grande do Mindelo, na ilha de São Vicente, que chegou do Brasil e tinha como destino a Europa. A droga estava escondida no casco da embarcação e distribuída em 1.063 pacotes e, durante a 'Operação Zorro', foram detidos quatro homens.

O juiz decretou prisão preventiva para os dois que se encontravam no veleiro - um francês, o capitão, e um brasileiro - e Termos de Identidade e Residência (TIR) para dois brasileiros que estavam hospedados numa pensão, onde foram encontrados haxixe e canábis. Em Dezembro, o Ministério Público deduziu acusação contra os quatro tripulantes do veleiro pela prática dos crimes de tráfico de droga de alto risco agravado e de associação criminosa. Na mesma altura, o Tribunal da Relação de Barlavento deu provimento a um recurso do Ministério Público (MP), que discordou da decisão do tribunal de deixar dois dos arguidos em liberdade, e determinou sua prisão preventiva até ao julgamento.

João do Rosário, um dos advogados de defesa dos arguidos, espera um "julgamento justo", reafirmando a inocência dos seus constituintes.

O julgamento vai arrancar após familiares e amigos se terem desdobrado nos últimos meses em apelos nas redes sociais e na imprensa para a libertação dos brasileiros, dizendo que são inocentes e justificando que foram usados "por uma quadrilha internacional". Um dos apelos está num abaixo-assinado na Internet, que já conta com cerca de 16 mil assinaturas e o objectivo é chegar às 25 mil subscrições para serem entregues às autoridades cabo-verdianas.

O Ministério da Justiça do Brasil entregou um relatório da Polícia Federal Brasileira ao Ministério Público cabo-verdiano onde consta que não foram encontrados nenhum indício de participação da tripulação no tráfico da droga, pelo que arquivou o processo e considerou que os arguidos já deveriam estar soltos. João do Rosário disse que é um "elemento de prova muito importante" e um "documento decisivo" que será juntado a muitos outros para tentar provar a inocência dos arguidos.

Os 1.157 quilos de cocaína, que foram queimados uma semana após a apreensão, foi a maior quantidade de droga apreendida na ilha de São Vicente, depois dos 521 quilos no caso Perla Negra, em novembro de 2014, numas das praias da ilha.

Foi a segunda maior quantidade alguma vez apreendida em Cabo Verde, após a operação "Lancha Voadora" que, em 2011, culminou com a apreensão de uma tonelada e meia de cocaína em estado de elevada pureza escondida na cave de um prédio na cidade da Praia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,12 mar 2018 6:56

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  14 nov 2018 3:23

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.