Detido em Espanha alegado proprietário do navio da operação Zorro

PorNuno Andrade Ferreira,17 jun 2018 9:48

1

Robert James Delbos
Robert James Delbos(Polícia Federal - G1)

​A Polícia Federal brasileira anunciou a detenção, em Espanha, na última sexta-feira, de um homem inglês, de 66 anos, suposto co-proprietário do veleiro Rich Harvest, no centro da operação Zorro.

De acordo com o site G1, o homem, de nome Robert James Delbos, indiciado por tráfico internacional de droga, estaria em fuga e a prisão ocorreu após um pedido formulado pela Polícia Federal à Interpol. As circunstâncias e local exacto da detenção ainda não foram revelados. As autoridades brasileiras confirmam a emissão de um segundo mandado internacional de detenção, no caso contra George Eduard Soul, também de nacionalidade inglesa, conhecido como George 'Fox' - aquele que é citado no processo cabo-verdiano como proprietário da embarcação. 

Segundo a polícia brasileira, o navio estará registado no nome de uma terceira pessoa, não divulgado.

As autoridades do Brasil acreditam numa alegada relação de Delbos e Fox com cartéis internacionais de drogas. Ambos, e ainda um outro homem, Mattew Bolton, terão chegado ao Brasil em Junho de 2016, no veleiro que receberia o carregamento de droga, em Salvador da Bahia. Contudo, Bolton não é visado pelas autoridades, que não terão encontrado provas do seu envolvimento na operação de tráfico. 

O Brasil, onde a investigação ao caso de droga não avançou para a acusação dos quatro velejadores condenados em Cabo Verde, seguindo antes a pista dos ingleses, declarou agora o interesse na extradição do homem preso em Espanha, por considerar que o seu depoimento poderá ser central para o desenrolar do processo.

"Já foi manifestado o interesse da extradição pela Justiça Federal. Vai ser uma oportunidade dele nos dar detalhes, inclusive, a identificação de outras pessoas envolvidas", disse o delegado da PF, André Gonçalves, citado pelo G1.

George Fox, um dos proprietário do veleiro / Polícia Federal - G1
George Fox, um dos proprietário do veleiro / Polícia Federal - G1

Os quatro arguidos da Operação Zorro foram condenados em Março a penas de dez anos de prisão, considerados culpados pelo crime de tráfico de droga em co-autoria. No tribunal de São Vicente, o juiz Antero Tavares considerou ter ficado provada a prática de um dos dois crimes pelos quais os três brasileiros e o francês eram acusados.

Condenados a dez anos de prisão, os arguidos têm como pena acessória a expulsão do país após o cumprimento da pena e a proibição de reentrada durante cinco anos. Os bens apreendidos pelas autoridades foram declarados perdidos, a favor do Estado. Por provar ficou o crime de associação criminosa, que constava da acusação do Ministério Público.

O tribunal acredita que a droga foi carregada no Brasil, apenas depois da fiscalização da Polícia Federal, motivo pelo qual as autoridades brasileiras não encontram nada no veleiro. 

Os três brasileiros - Daniel Guerra, Rodrigo Dantes e Daniel Dantes - e o cidadão francês - Olivier Thomas - foram presos, em São Vicente, a 23 de Agosto de 2017, após uma busca ao veleiro Rich Harvest, proveniente de Natal, Brasil.

A defesa sempre clamou a inocência dos arguidos e já interpôs recurso no Tribunal da Relação. 

Com a prisão de Delbos, os familiares dos brasileiros reacendem a sua esperança no desfecho favorável e voltam a insistir na libertação dos condenados, para que possam responder ao resto do processo em liberdade. 

"Nós queremos que seja respeitado o Código Penal de Cabo Verde e que dê oportunidade deles responderem esse processo em liberdade. Já que temos um um conjunto de provas que mostram que eles são inocentes”, disse João Dantas, pai de Rodrigo Dantas.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Nuno Andrade Ferreira,17 jun 2018 9:48

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 jun 2018 20:45

1

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.