​Operação Zorro: Suspeito de esconder cocaína diz que tripulação não sabia da droga

Daniel Dantas, Daniel Guerra e Rodrigo Dantas
Daniel Dantas, Daniel Guerra e Rodrigo Dantas

O inglês Robert James Delbos, um dos suspeitos por esconder os 1157 quilos de cocaína no veleiro "Rich Harvest", apreendido em Agosto de 2017, em São Vicente, afirma que a tripulação detida durante a “Operação Zorro” não sabia da existência da droga.

De acordo com informações avançadas pelo portal de notícias da Globo, G1, Robert James Delbos, que foi extraditado para Salvador, Brasil, prestou depoimento à Polícia Federal (PF) e garantiu a inocência dos brasileiros Rodrigo Dantas, Daniel Dantas e Daniel Guerra, e do francês Olivier Thomas.

No seu depoimento à Polícia Federal brasileira, Delbos terá dito que há muitos anos conhece George Eduard Soul, também conhecido como Fox, alegado dono do veleiro e responsável pela carga de cocaína. O suspeito afirma que foi contratado por Fox para fazer uma reforma na embarcação e que não sabia que a obra seria para esconder a droga.

O detido, segundo o portal de notícias da Globo, relatou que esta não foi a primeira vez que se envolveu com o tráfico internacional de drogas.

"Ele também teria sido preso, conforme ele próprio declarou, pelo transporte de 1,5 tonelada de haxixe, na década de 80, na Inglaterra", afirmou o delegado Daniel Justo Madruga, superintendente regional da PF na Bahia.

Delbos, que foi preso em Espanha no mês de Junho de 2018, por ordem da Justiça brasileira, foi extraditado para Salvador, na quinta-feira (11). Robert James Delbos era procurado pelo Juízo da 2ª Vara Federal Criminal de Salvador, para responder por crime de tráfico internacional de drogas e associação para tráfico.

Outros dois homens são procurados pela justiça brasileira: George Edward Saul, principal suspeito, e Matthew Stephen Bolton, indiciados pelo mesmo crime. George Saul, 'Fox', chegou a ser preso em Itália, por 40 dias, mas foi solto por atraso no envio do pedido de extradição.

As investigações da Polícia Federal apontam que Delbos chegou ao Brasil como tripulante do veleiro “Rich Harvest” e que foi responsável pelo pagamento das reformas executadas na mesma embarcação para que fosse escondida mais de uma tonelada de cocaína.

O caso remonta a 23 de Agosto de 2017, quando a Polícia Judiciária efectuou uma busca ao veleiro de nome Rich Harvest, proveniente de Natal, Brasil, tendo encontrado 1.157 quilos de cocaína escondidos no casco do barco. O barco teria como destino a Madeira, Portugal, mas alegadamente devido a avaria, teve que parar em Cabo Verde.

Além da apreensão, foram detidos três brasileiros, Rodrigo Dantas, Daniel Dantas e Daniel Guerra, e o francês Olivier Thomas. Os ocupantes da embarcação foram condenados, em primeira instância, em Março do ano passado, a 10 aos de prisão, mas acabaram por receber ordem de soltura no dia 7 de Fevereiro deste ano, por esgotamento do tempo de prisão preventiva, dias depois de o Tribunal da Relação de Barlavento, para onde tinham recorrido, ter procedido à anulação da sentença proferida em primeira instância.

Os arguidos, que sempre clamaram inocência, aguardam julgamento sob Termo de Identidade e Residência (TIR), na sua terra natal.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Rádio Morabeza, Expresso das Ilhas,22 abr 2019 7:07

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 nov 2019 23:21

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.