Comissão Europeia vai investigar compra de empresa pela Facebook

PorExpresso das Ilhas, Lusa,3 ago 2021 10:00

A Comissão Europeia vai abrir um inquérito aprofundado sobre o projeto de compra pela Facebook da start-up norte-americana Kustomer, especializada na gestão da clientela, por recear uma redução da concorrência.

O conglomerado das redes sociais "ocupa uma posição de primeiro plano, tanto no mercado da publicidade em linha", como no dos serviços de mensagens, tais como WhatsApp, Messenger ou Instagram, sublinhou a vice-presidente encarregada da política de concorrência, Margrethe Vestager, citada em comunicado na segunda-feira.

A Comissão tinha aberto um inquérito preliminar sobe este projeto em 18 de Maio e os resultados justificaram o inquérito aprofundado, acrescentou Vestager.

Dez autoridades nacionais, entre as quais a austríaca, que originou a iniciativa, solicitaram ao Executivo europeu que investigasse a operação, apesar de não atingir os níveis financeiros previstos pela União Europeia.

Mas, desejosos de preservar a concorrência, os europeus têm estado a controlar o apetite das grandes empresas pelas 'start-up'.

"Estamos impacientes para demonstrar aos reguladores que a Facebook e a Kustomer vão oferecer mais escolhas e melhores serviços graças a esta transação", afirmara então a Facebook.

Além de uma redução da concorrência sobre o mercado do fornecimento dos programas informáticos de gestão das relações com a clientela, a Comissão inquieta-se com um reforço da Facebook "no mercado publicitário em linha, aumentando a quantidade importante de dados de que a Facebook já dispõe para personalizar os anúncios que exibe", adiantou-se no comunicado.

"O nosso inquérito visa garantir que a operação não vai prejudicar, nem às empresas, nem aos consumidores, e que os dados aos quais a Facebook tenha acesso não vão falsear a concorrência", detalhou Vestager.

O inquérito preliminar "leva a pensar que a Facebook poderia ter a capacidade, bem como um incentivo económico, de seguir estratégias de exclusão dos concorrentes da Kustomer, impedindo-os, por exemplo, de utilizar os canais de mensagens da Facebook ou degradando as condições de utilização ou de acesso a esses canais", especificou-se no texto.

Tais estratégias "são susceptíveis de reduzir a concorrência no mercado de fornecimento de programas informáticos de gestão das relações com a clientela e de assistência para a gestão das relações com a clientela", estimou a Comissão. Uma situação que provocará "uma subida dos preços, uma baixa de qualidade e uma redução da inovação para os clientes profissionais, que podem, por sua vez, ser repercutidas sobre os consumidores", insistiu-se.

Lembrando que o projecto foi notificado em 25 de Junho último, a Comissão avançou que tem até 22 de Dezembro de 2021 para tomar uma decisão.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,3 ago 2021 10:00

Editado porAndre Amaral  em  27 nov 2021 23:21

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.