NASA e Boeing vão desenvolver avião de baixa emissão de carbono

PorExpresso das Ilhas, Lusa,23 jan 2023 8:54

A agência espacial dos Estados Unidos (NASA) e a gigante da aviação Boeing vão desenvolver um conjunto uma aeronave comercial de última geração, com emissões de carbono mais baixas.

A NASA vai investir 425 milhões de dólares, ao longo de sete anos, neste projecto, enquanto a Boeing e seus parceiros aplicarão cerca 725 milhões de dólares.

O objectivo é produzir futuras aeronaves comerciais "mais eficientes em termos de combustível, com benefícios para o meio ambiente, a indústria da aviação comercial e os passageiros em todo o mundo", destacou esta quinta-feira o chefe da agência espacial, Bill Nelson.

"Se formos bem-sucedidos, poderemos ver estas tecnologias nos aviões que levarão as pessoas na década de 2030", acrescentou o responsável, citado em comunicado de imprensa.

O acordo prevê que a NASA e a Boeing construam, testem e voem um protótipo de corredor único à escala real.

"As tecnologias apresentadas e testadas através do programa inspirarão projectos futuros e podem levar a avanços na aerodinâmica e avanços na economia de combustível", sublinhou, por sua vez, a Boeing.

Segundo a NASA, os engenheiros tentarão desenvolver uma aeronave com redução de 30% no consumo de combustível e nas emissões em comparação com as aeronaves de corredor único mais económicas da actualidade.

A agência espacial planeia concluir os testes do programa até ao final da década de 2020, para que as tecnologias e o design possam ser aplicados à próxima geração de aeronaves de corredor único.

As aeronaves de corredor único são as aeronaves mais comuns nas frotas aéreas e representam quase metade das emissões globais da aviação, de acordo com a NASA.

A Boeing e a NASA planeiam testar uma asa inovadora, que gera menos arrasto e queima menos combustível.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,23 jan 2023 8:54

Editado porAndre Amaral  em  23 jan 2023 8:54

pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.