Prémio Nobel da Paz para Nadia Murad e Denis Mukwege

PorExpresso das Ilhas, Lusa,5 out 2018 8:40

O Prémio Nobel da Paz de 2018 foi atribuído ao médico congolês e à sobrevivente yazidi pelos "esforços para acabar com a violência sexual como uma arma de guerra".

O médico Denis Mukwege dedicou sua vida à defesa de vítimas de violência sexual em tempo de guerra no Congo. A yazidi Nadia Murad foi vítima de violência sexual, tendo fugido e contado a sua história e a de muitos outros.

Denis Mukwege passou grande parte da sua vida adulta a ajudar milhares de vítimas de violência sexual na República Democrática do Congo.

Em 2014, Mukwege recebeu o Prémio Sakharov do Parlamento Europeu.

Também Nadia Murad já fora distinguida, em 2016, com o Prémio do Parlamento Europeu, a par de outra activista, Lamiya Aji Bashar. Elas fazem parte das 3000 jovens e mulheres yazidis vítimas de violação e de outros abusos por parte do Estado Islâmico no Iraque. Os abusos foram sistemáticos e fizeram parte de uma estratégia militar. Foram usadas como uma arma na luta contra os yazidis, bem como as outras minorias religiosas.

Mukwege e Murad sucedem à organização não-governamental Campanha Internacional para a Abolição das Armas Nucleares (ICAN, na sigla em inglês).

Ao longo da história, o Prémio Nobel da Paz foi atribuído a personalidades como Martin Luther King, Nelson Mandela, Mikhail Gorbachev, Madre Teresa de Calcutá ou Willy Brandt.

Nalguns casos, as decisões do Comité Norueguês do Nobel criaram controvérsia. Por exemplo, ao distinguir o norte-americano Henry Kissinger e o vietnamita Le Duc Tho, em 1973, por terem negociado um armistício na guerra do Vietname; em 1994, ao laurear Yasser Arafat, Shimon Peres e Yitzhak Rabin pelos esforços em alcançar a paz no Médio Oriente; em 2009, por distinguir Barack Obama quando o presidente norte-americano estava no início do primeiro mandato; ou em retrospectiva por não tirar o prémio à líder birmanesa Aung San Suu Kyi, tendo em conta a perseguição ao povo rohingya.

Das 98 vezes que tinha sido atribuído, o Nobel da Paz distinguiu 104 pessoas e 24 organizações. O Comité Internacional da Cruz Vermelha é o recordista, tendo recebido o Prémio três vezes (1917, 1944 e 1963). O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados foi distinguido duas vezes, em 1954 e 1981.

O Prémio Nobel da Paz é o único Nobel anunciado em Oslo. Cabe ao Comité Norueguês do Nobel, constituído por cinco elementos, tomar a decisão. A selecção é feita em primeira instância após receberem nomeações por parte de antigos Prémios Nobel da Paz, deputados, ministros, chefes de Estado, e professores universitários de todo o mundo.

Após uma primeira triagem, o Comité - que pode acrescentar nomes - recebe relatórios sobre as pessoas e instituições por parte de um grupo de conselheiros. A escolha final é tomada em outubro e o Comité, tradicionalmente, tenta escolher por unanimidade.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,5 out 2018 8:40

Editado porAndre Amaral  em  6 out 2018 8:35

pub.
pub.
pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.