Milhares manifestam-se em Munique contra cimeira do G7

PorExpresso das Ilhas, Lusa,25 jun 2022 14:30

Milhares de pessoas manifestaram-se hoje, pacificamente, em Munique, contra a realização da cimeira do G7 que começa no domingo na região, apelando aos líderes políticos mais acção em prol do clima.

A manifestação foi convocada por cerca de quinze Organizações Não-Governamentais (ONG) de defesa do meio ambiente e combate às desigualdades, e os manifestantes usaram como palavra de ordem: "Crise climática, extinção de espécies, desigualdades: equidade é outra coisa!".

Os organizadores esperavam cerca de 20.000 pessoas na capital da Baviera para este desfile na esplanada onde é realizada, todos os anos, a "Oktoberfest" (Festival da Cerveja).

Antes da partida da marcha, a Polícia mencionou a participação entre 3.500 e 4.000 pessoas.

Defensores do meio ambiente quiseram fazer ouvir suas vozes antes que os líderes dos sete países mais industrializados do planeta (G7) se reúnam até terça-feira no Castelo d'Elmau, a cem quilómetros de distância de Munique, no sopé dos Alpes bávaros.

Da multidão foram ouvidas palavras de ordem como "Só temos um planeta", "Salve o mundo", "Chega de renováveis, sem guerra", noticia a agência France Presse.

"O que está a ser feito para deixarmos o mais rapidamente os combustíveis fósseis? O que se está a fazer para impedir a extinção de espécie?", questionou Viviane Raddatz, da ONG World Wide Fund for Nature (WWW).

"Os países do G7 são responsáveis por um terço das emissões de gases de efeito estufa, apesar de representarem apenas 10% da população mundial", disse Illayda, 21 anos, do WWF.

"Na Índia, as pessoas estão a morrer porque as temperaturas estão a alcançar os 50 graus Celsius", disse Fiona, uma activista da OMG Greenpeace.

Uma grande força policial foi mobilizada para o centro de Munique, pois as autoridades alemãs querem a todo custo evitar as explosões violentas que marcaram em grande parte a cimeiras do G20 (Grupo das 20 maiores economias mundiais, que inclui a União Europeia) e que foi realizada em 2017 em Hamburgo, no norte da Alemanha.

Durante a cimeira em Hamburgo registaram-se carros incendiados, lojas saqueadas e confrontos com policiais. A violência ofuscou em grande parte os debates dos ministros das Finanças e presidentes dos bancos centrais do G20, noticia a agência France Presse.

Outras acções de protesto contra a cimeira do G7, nos arredores de Munique, estão projectadas, sob forte escolta policial, nomeadamente, um desfile no domingo em Garmisch-Partenkirchen, a cidade mais próxima do Castelo d'Elmau.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,25 jun 2022 14:30

Editado porAndre Amaral  em  25 nov 2022 23:28

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.