Requalificar a Gamboa vai custar 200 mil contos

PorExpresso das Ilhas,5 fev 2016 14:00

5

 As obras de requalificação da orla marítima da Gamboa vão custar 200 mil contos, avançou hoje o vereador do Urbanismo, Rafael Fernandes, realçando que o plano vai dar um “maior privilégio” ao espaço e passeio público.

 

Em declaração aos jornalistas, após a apresentação pública da proposta do Plano Detalhado da Gamboa-Porto da Praia, que decorreu na manhã de hoje manhã, na Cidade da Praia, disse que o objectivo da intervenção é transformar a “grande baía” da praia voltada para o mar, e ligar esta zona da cidade aos diversos pontos da capital.

O vereador adiantou que a “grande aposta” da Câmara Municipal da Praia é a requalificação territorial, sendo que o plano municipal definiu algumas áreas de actuação prioritárias, das quais se destacam a frente marítima da praia, sublinhando que tem trabalhado na reurbanização dos bairros de assentamentos informais, com programas específicos, mas também com planos para novas zonas de habitação e parque empresarial.

“Orçado em 200 mil contos e numa extensão de 15 quilómetros, as obras terão inicio brevemente e vão privilegiar todo o espaço e aumentar consideravelmente o passeio público”, acrescentou Rafael Fernandes.

Disse estar consciente de que as obras não serão concluídas ainda neste mandato, mas sublinhou que para a autarquia o mais importante é que o trabalho a ser executado seja de qualidade, sustentável, e que os praienses possam sentir e ver que a requalificação da frente marítima vai transformar a cidade toda ela voltada para o mar.

Segundo o vereador, a circulação não vai estar em causa, já que o plano vai dar “lógica e coerência” à cidade, sendo que ela será ancorada ao projecto MLD do casino no ilhéu da gamboa.

Em relação à ponte da praia da Gamboa, disse que a estrutura vai ser analisada, mas garantiu que o plano prevê a sua permanência e manutenção.

“Para a câmara, o essencial passa também por aumentar o arraial da praia da Gamboa, ou seja a semelhança daquilo que foi feito na praia da Laginha, em São Vicente, pretendemos ter uma zona central com grande arraial e com correcção torrencial da ribeira, que permita a escoação da água da chuva para o mar”, referiu.

Na ocasião, destacou o Plano Detalhado de Quebra Canela, que já foi concluído, o de Palmarejo Baixo e o da Prainha, que será executado brevemente, que no seu ver vão dar a cidade uma “maior dimensão e visibilidade”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,5 fev 2016 14:00

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  8 fev 2016 7:54

5

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.