Ambientalistas lamentam falta de fiscalização da lei dos sacos de plástico

PorLourdes Fortes,4 jan 2018 15:13

A Associação para a Defesa do Ambiente e Desenvolvimento, considera que faltou fiscalização à lei que interdita a comercialização e utilização de sacos de plástico. A posição é assumida por Aristides Reis, da organização ambientalista.

Aristides Reis diz  que a criação  da lei" foi uma boa medida" mas que falta adicionar outros elementos, como “sensibilização e fiscalização”.

“Esperávamos que, com a entrada da lei em vigor, o governo e também as Organizações Não Governamentais, como a ADAD e outras, fizessem maior divulgação e socialização e monitorizassem a sua aplicação. Eu acho que o que está a falhar, até este momento, é exactamente isso. Tenho o sentimento de que não se fez o acompanhamento da aplicação da lei, para ver em que medida ela estava sendo cumprida em termos práticos”, afirma.

Aristides Reis defende que é preciso perceber o que correu mal e definir novas estratégias, para consolidar e reforçar a aplicação da normal legal.

“Acho que nem tudo está perdido, há um know how conseguido. É preciso retomar as actividades de sensibilização, que se passe à articulação de estratégias [entre governo e ADAD, neste caso concreto], fazer um estudo para ver até que ponto as pessoas cumpriram com esta lei, o que é que falhou e a partir daí definir novas estratégias de aplicação e divulgação. Sabemos que nem toda a gente consegue só com a sensibilização mudar  atitudes e comportamentos”, observa.

Aristides Reis lembra os desafios que o país enfrenta no quadro das mudanças climáticas e sublinha que Cabo Verde não pode deixar trabalho por fazer. “Nós somos um país pequeno e é por isso que devemos estar mais atentos."

A lei que interdita a comercialização e utilização de sacos de plásticos entrou em vigor a 1 de Janeiro de 2017.

Aos infractores, a medida prevê aplicação de coimas que vão de 50 mil a 400 mil escudos para pessoas singulares e de 250 contos a 800 contos para pessoas colectivas.

O documento proíbe a produção, importação e a comercialização dos chamados sacos convencionais.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes,4 jan 2018 15:13

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  4 jan 2018 15:13

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.