​“Combate à pesca ilegal deve ser uma prioridade nacional”

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,27 jan 2022 12:16

A Inspectora-geral das Pescas defende que combater a pesca ilegal deve ser uma prioridade nacional. Maysa Vera-Cruz Rocheteau, que foi reconduzida no cargo, discursava no final da cerimónia de tomada de posse, presidida pelo ministro do Mar, Abrão Vicente.

De acordo com as autoridades nacionais, Cabo Verde tem uma situação “relativamente” controlada em relação à pesca ilegal, não declarada e não regulamentada (INN), embora persistam lacunas, principalmente quanto à fiscalização.

“A pesca ilegal não declarada e não regulamentada constitui uma das mais graves ameaças à exploração sustentável dos recursos marinhos, sendo o seu combate um dos elementos que legitimam as estratégias de transição para a economia azul. Neste contexto, combater a pesca ilegal deve ser uma prioridade nacional, devendo ser contínuos os esforços para dotar o país de instrumentos que orientem e possibilitem a actuação dos diferentes intervenientes no sistema de monitorização controle e fiscalização das actividades da pesca e da garantia da conformidade e qualidade dos produtos da pesca”, refere.

A Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) estima que as acções pesqueiras ilegais, não declaradas e não regulamentadas causem perdas entre 11 a 26 milhões de toneladas de peixe a cada ano. O prejuízo económico, a nível global, está na faixa dos 10 a 23 mil milhões de dólares.

Por seu lado, o ministro do Mar destaca a importância do trabalho em equipa para fazer frente aos desafios do sector das pescas e consolidação da visão para a economia Azul.

“O diferencial da nossa equipa dependerá da nossa capacidade de concretização [dos projectos], sermos parceiros do sector privado, do investimento privado, sermos parceiros dos países que são nossos parceiros, na investigação, no ensino superior e fazer, de facto, o nosso papel de facilitador”, afirma.

“Cabe à equipa e aos dirigentes fazer com que o core business do ministério seja, efectivamente, guiado por uma linha que coerente, flexível adaptada aos novos tempos e inspirada por lideranças agregadoras (…) Principalmente, peço-vos transparência e capacidade resistência a todo o tráfico de influências e toda a tentativa de corrupção”, acrescenta.

Também hoje, Albertino Martins foi empossado como Director Nacional de Pesca e Aquacultura.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,27 jan 2022 12:16

Editado porAndre Amaral  em  28 jan 2022 12:04

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.