Massacre de Monte Tchota "não faz parte da nossa cultura" - Primeiro-Ministro

PorExpresso das Ilhas,29 abr 2016 7:46

3

O primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, disse quinta-feira, em Santo Antão, que os acontecimentos de Monte Tchota “não fazem parte da nossa cultura, nem da nossa forma de ser e de estar, nem da forma de funcionamento das nossas instituições”.

 

Ulisses Correia e Silva, que participava nas cerimónias fúnebres dos dois soldados naturais de Santo Antão, mortos no massacre no interior de Santiago, referiu que o mesmo foi um “trágico” acontecimento, razão pela qual o país está de luto.

Ulisses Correia e Silva garantiu aos familiares das vítimas que “podem contar com o apoio do governo de Cabo Verde”, embora reconheça que o mesmo não substituirá a perda.

Várias centenas de pessoas acompanharam os cortejos fúnebres dos sodados Romário, de Porto Novo, e Anacleto dos Santos, do interior da Ribeira Grande, em cerimónias que, além do primeiro-ministro, contaram com a presença do ministro da Defesa, Luís Filipe Tavares, do Chefe do Estado-Maior, Alberto Fernandes, além de outras altas patentes das Forças Armadas.

O elogio fúnebre de Anacleto dos Santos foi proferido pelo Tenente-coronel José Rui Neves, que enalteceu as qualidades humanas do falecido soldado que lhe valeram “o respeito e a admiração dos seus camaradas e superiores hierárquicos”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,29 abr 2016 7:46

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  29 abr 2016 15:33

3

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site