SATA quer ser mais relevante no mercado nacional

PorSATA,7 out 2022 9:49

Desde que começaram as ligações aéreas entre Cabo Verde e os Açores esta linha tem apresentado uma evolução positiva e procura constante. A regularidade desta operação em termos de procura, leva os responsáveis da SATA a crer que os serviços oferecidos têm sido adequados à necessidade e valorizados pelos passageiros.

“Acreditamos ser uma ponte aérea relevante”, aponta a companhia aérea açoriana, pois para além da ligação directa ao Arquipélago dos Açores, oferece possibilidades de ligação muito cómodas, desde já, com a cidade de Boston, mas também com Nova Iorque entre outros pontos geográficos, como sejam Portugal Continental e o Arquipélago da Madeira.

A crescente conectividade dos Açores tem aberto mais oportunidades para quem procura alternativa aos voos ponto a ponto, ou até, para os que até têm alguns dias disponíveis para disfrutar dos destinos que a Azores Airlines e SATA Air Açores disponibilizam, designadamente, nos Açores.

A SATA é uma empresa que tem desempenhado um papel importante na ligação entre Cabo Verde e a sua diáspora.

“Actualmente estamos a proporcionar ligações entre Cabo Verde e os Açores, três vezes por semana no período de verão e duas vezes por semana, no inverno”.

A procura tem sido constante e sem surpresas ou sobressaltos, o que para a companhia aérea demonstra que a oferta está adaptada à realidade actual. “Diversificamos os acessos acrescentando a Boston a cidade de Nova Iorque. Estas apostas têm, efectivamente, obtido reconhecimento da comunidade cabo-verdiana”.

A empresa diz acreditar que com o tempo – sempre acompanhado da oferta de um serviço consistente e atencioso – poderá passar a fazer parte das preferências da comunidade, em particular, dos que se encontram a residir na América do Norte. “A cada ano, muito nos apraz constatar que temos passageiros que voltam a embarcar connosco e que o passa palavra continua a ocorrer”, refere a empresa que não afasta a possibilidade de ligar o arquipélago dos Açores a outros destinos em Cabo Verde. “Estamos permanentemente a avaliar o potencial de estabelecer novas ligações directas e, caso as condições de mercado o permitam, poderemos vir a lançar novas apostas, no futuro”.

O mundo vive actualmente num cenário de crise económica mundial e isso levanta a questão da evolução do mercado nos tempos mais próximos. Para a SATA o futuro próximo continuará a ser um tempo e um contexto muito exigentes, tendo em conta que a complexidade de gestão do transporte aéreo não cessou de aumentar, apesar das dificuldades com as quais nos temos deparado nos últimos dois anos, em particular.

“A aviação continuará a ser um sector extremamente regulado, sofisticado, que carece de investimento permanente, mais ainda se considerarmos o esforço que todos queremos colocar na transformação tecnológica do sector, tendo em vista a concretização dos objectivos de descarbonização do sector, até 2050”, aponta a empresa.

No entanto a SATA acredita que a aviação e também uma actividade “que estará sempre associada à vontade que todos temos de partir à descoberta, de viajar pelo mundo, para aceder a locais e a experiências inesquecíveis. A indústria do transporte aéreo acaba por alimentar os sonhos de evasão e proporciona a possibilidade de os realizar, e tanto o Arquipélago dos Açores como o de Cabo Verde estão bem posicionados para cumprir estas promessas. Acreditando nestes princípios, esperamos um futuro complexo, a exigir muitíssimo do sector e de cada um de nós, porém, nunca deixará de ser detentor de enorme potencial, ainda por explorar”.

Num recente evento organizado na cidade da Praia a SATA teve a oportunidade de apresentar aos agentes de viagens nacionais todas as suas ofertas e de lhes mostrar o que a empresa espera deles enquanto uma das faces visíveis e essenciais para as operações em Cabo Verde.

"Sempre senti um bom feedback por parte da empresa" conta Isabel Fontes, sócia gerente da Isatour. "A empresa tem já uma imagem bem vincada no mercado nacional. A SATA tem visão porque sabe que as agências têm um papel muito importante na sociedade cabo-verdiana. Ainda por cima agora, nesta altura pós-COVID, as pessoas o que querem é que alguém cuide das suas viagens e as agências estão bem posicionadas para o fazer".

Paula Carvalho, da agência Orbitur, reconhece que as relações com a SATA são boas. "Vendemos muito a SATA e a empresa tem crescido muito" em Cabo Verde. No entanto, há coisas a melhorar, reconhece esta agente de viagens, "mas com a ajuda dos agentes tudo será resolvido".

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Tópicos

SATA

Autoria:SATA,7 out 2022 9:49

Editado porExpresso das Ilhas  em  8 out 2022 8:41

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.