Marcha de Alfama desceu a avenida na Praia

PorExpresso das Ilhas, Lusa,18 abr 2018 7:12

​A Marcha de Alfama. Lisboa, desceu ao fim da tarde de ontem a Avenida Amílcar Cabral, no centro histórico da Praia, deixando à sua passagem "um cheirinho a Lisboa" e reavivando "saudades" em alguns cabo-verdianos.

Na casa dos 60 anos, Manuel Varela Neves, assiste à passagem da marcha e, como que verbalizando involuntariamente um pensamento, lança: "Aí, isto dá-me tantas saudades de Alfama".

Este cabo-verdiano, que diz ter vivido em Portugal durante "um bocadinho" e regressou há dois anos a Cabo Verde, lembrou "a grande beleza, organização, alegria e participação popular" dos desfiles e festas dos Santos Populares.

A Marcha de Alfama em Cabo Verde é uma "pequena expressão" que "dá um cheirinho" daquilo que se passa em Lisboa, considerou, manifestando vontade que no próximo ano venha uma comitiva "mais expressiva" de marchantes.

Diogo Vaz, coordenador da Marcha de Alfama, explicou à Lusa que vieram a Cabo Verde 43 dos 50 marchantes da colectividade vencedora da edição de 2017 das Marchas de Lisboa.

Longe da pressão da Avenida da Liberdade, num ambiente claramente mais descontraído, Diogo Vaz sublinhou a importância de "representar bem as tradições e o bairro".

A apresentação da Marcha de Alfama foi precedida por um desfile de tabanca, o que permitiu, segundo Diogo Vaz, uma interacção com uma manifestação cultural, que desconhecia.

"É importante fazermos este tipo de cruzamento de culturas, tradições e sendo Cabo Verde um país que também fala o português faz todo o sentido este intercâmbio e toda esta mistura de culturas", disse.

Já no fim da marcha, Fátima Lopes da Silva 'espreita' ao lado da igreja Matriz da Praia. Bate palmas e grita bem alto, em jeito de incentivo "Viva Marcha de Alfama, Viva Marcha de Alfama".

Em declarações agência Lusa, disse que nem sabia que a marcha ia estar na cidade da Praia, mas assim que os viu passar, não resistiu e começou a bater palmas.

"Gosto de marchas populares. A minha mãe adorava, ia sempre para Lisboa na altura das marchas populares, vibrava e eu também sinto um bocadinho. No dia 24 de Junho, dia de Santo António, vejo sempre marchas populares", declarou.

Fátima Lopes da Silva avançou que vai "sempre de férias para Portugal" e já assistiu uma vez à Marcha de Alfama em Lisboa. Sobre a presença em Cabo Verde, considerou que foi uma coisa "muito bonita" entre dois países.

A Marcha de Alfama está em Cabo Verde a convite da organização do Atlantic Music Expo (AME), que durante esta semana tem muita música, conferências, espetáculos e muita animação na cidade da Praia.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,18 abr 2018 7:12

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 abr 2018 11:54

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.