Livro Ritual de “Apanha de Espírito” será conhecido em Santiago Norte

PorDulcina Mendes,14 out 2018 11:57

​Depois do lançamento na cidade da Praia, a obra «Ritual de “Apanha de Espírito” em Santiago de Cabo Verde», de Arlindo Mendes será apresentada pela Livraria Pedro Cardoso (LPC) em alguns municípios do interior da ilha de Santiago.

A primeira apresentação aconteceu quarta-feira, em Santa Cruz, pelas 16 horas, no Salão Nobre da Câmara Municipal. No dia 15, segunda-feira, o livro será apresentado no Concelho de Calheta de São Miguel, às 11 horas, no Salão Nobre da Câmara Municipal. Ainda no mesmo dia, o livro será apresentado em Tarrafal de Santiago, pelas 17 horas, no Salão Nobre da Câmara Municipal. Todas as apresentações vão estar a cargo do professor Adilson Semedo e do artista Gil Moreira.

Um dos propósitos deste livro é compreender os contornos que envolvem o ritual de “apanha de espírito”, no seu sentido simbólico, no quadro dos rituais mortuários e no universo socio-cultural santiaguense.

Esta obra visa ainda contribuir para a identificação, catalogação, conhecimento, promoção e valorização dos aspectos basilares das crenças ligadas às práticas funerárias e aos seus reflexos na vida familiar e à quotidianidade dos actores rituais santiaguenses.

Com este livro, o autor pretende ‘alumiar’ a importância da história oral, evidenciar as tradições e resgatar os valores e as manifestações culturais, transmitidas oral ou gestualmente, de geração em geração, a fim de contribuir para a promoção da memória colectiva e preservação dos traços identitários, enquanto fonte inesgotável de garantia de continuidade da vida comunitária santiaguense.

Na cidade da Praia, a apresentação do livro foi marcada por uma simulação de “apanha de espírito”, protagonizada por um dos apresentadores da obra, Gil Moreira, que é também actor e encenador.

O autor, que é licenciado em História e doutor em Antropologia, tem vários trabalhos ligados à morte na ilha de Santiago, como por exemplo: “Rituels Funéraires à Santiago aux îles du Cap-Vert” e “Viver a morte em Santiago: Uma abordagem etnográfica”.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 880 de 10 de Outubro de 2018.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,14 out 2018 11:57

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  15 out 2018 10:40

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.