Tutu Sousa: Nasci para ser artista

PorDulcina Mendes,9 fev 2019 8:15

​O artista plástico nasceu em São Vicente e desde os dois anos de idade vive na Cidade da Praia. Tutu Sousa começou a desenhar e a pintar desde muito cedo e hoje tem no seu curriculum várias exposições individuais e colectivas realizadas tanto no país como no estrangeiro.

No passado dia 30 de Janeiro o artista plástico apresentou mais uma exposição individual intitulada “Solfejo”, na sua galeria de arte. Esta exposição marca a reabertura da sua galeria de arte, sito no bairro da Terra Branca, na Cidade da Praia.

“A minha exposição é para marcar o início de uma nova etapa na minha carreira como artista plástico, galerista e uma nova forma de fazer arte em Cabo Verde”, afirma Tutu Sousa ao Expresso das Ilhas.

A exposição pode ser visitada até 28 deste mês. Formada por 16 quadros, “Solfejo” traz temas relacionados com a música cabo-verdiana.

“Cada quadro representa um tema musical, um estilo e algo que tem a ver com a nossa cultura. Por exemplo, tenho um quadro onde mostro a morna Sodad, também tenho serenata, noites de morna. Tenho aqui a tabanca, enfim, são temas relacionados com a música e a cultura cabo-verdiana”.

Desde a abertura da exposição, a galeria já recebeu vários visitantes entre amigos, colegas e apreciadores de arte. “No dia da abertura recebemos muitas pessoas que queriam ver como é que ficou a galeria e também apreciar um pouco a minha arte. Foi muito interessante porque, segundo os relatos que tenho ouvido das pessoas que estiveram aqui, há muito tempo não viam uma sala de exposição cheia. Achei muito interessante e isso é bom para mim e para a galeria”.

Reabertura da Art Gallery

No percurso do artista constam várias exposições individuais e colectivas em várias ilhas e em alguns países da Europa, Estados Unidos e China, para além da realização de dezenas de pinturas de murais decorativos no Aeroporto Nelson Mandela, na Cidade da Praia, e no Aeroporto Amílcar Cabral, na ilha do Sal.

Em 2015 recebeu da Câmara Municipal da Praia uma medalha de reconhecimento pelo seu trabalho de embelezamento com obras de Street Art na capital. No mesmo ano, foi nomeado Artista do Ano na Gala Marca de Confiança dos Cabo-verdianos. Tutu Sousa venceu no ano passado (2018), o prémio Homem do Ano, na IV edição do Somos Cabo Verde.

Depois de “Solfejo”, a galeria receberá uma exposição colectiva dedicada à mulher, durante o mês de Março e no mês de Junho Tutu Sousa apresentará uma exposição de brinquedos feitos com latas e trapos.

Com os brinquedos feitos com latas e trapos o artista quer recordar a sua infância. Esta exposição terá peças suas e de outros amigos e pessoas que fazem este tipo de trabalho. “É uma forma de mostrar às crianças de hoje como nós viviámos a nossa infância. É uma tendência que tem estado a perder porque se repararmos, hoje em dia, as crianças praticamente só utilizam tecnologias como telemóvel, tablet e playstation”.

“Acho que se hoje sou artista e sou criativo, foi graças à infância que tive. Na minha época praticamente não havia brinquedos e nós tínhamos que inventar as nossas brincadeiras e por isso hoje sou criativo”, assegura.

A galeria terá também uma exposição individual do artista plástico Hélder Cardoso, no mês de Abril. “Já estamos a tratar de novas exposições de outros artistas. Teremos aqui Nuno Prazeres, Oleandro. Já enviei o convite para outros artistas de renome como Kiki Lima, David Levy e só falta a confirmação e escolha da data para ter esses artistas aqui na galeria”.

Conforme explicou, a sua pretensão é ter uma galeria de portas abertas para todo o tipo de artistas.

Arte em Cabo Verde

Com quase 28 anos de carreia, Tutu Sousa disse que a nossa arte está num bom caminho. “Já houve uma fase em que tínhamos um mercado muito reduzido, e ainda temos, mas se compararmos com o que tínhamos há cinco ou dez anos, o nosso mercado tem estado a melhorar”.

“Hoje em dia temos novos coleccionadores nacionais e estrangeiros e alguns artistas, como é o meu caso, tenho explorado o mercado internacional. Recentemente estive em Macau (China) numa exposição, vou agora para a Guiné-Bissau e depois para Itália e tenho uma agenda a nível internacional muito grande para fazer”.

O artista plástico conta que tem um projecto de fazer uma escola de arte, mas que neste momento quer concentrar-se na sua galeria de arte. “Costumo dizer que nasci para ser artista. Praticamente desde criança desenho, pinto e hoje estou nessa área com sonhos por realizar”.

Projecto Rua d’Arte

O artista plástico tem deixado a sua marca em todos os países por onde passa, seja em pintura de mural, desenhos e telas e está referenciado no Guia Turístico de Cabo Verde.

Em 2016 ao comemorar os 25 anos de carreira, deu início a um projecto pessoal intitulado “Rua d’Arte”, uma galeria a céu aberto, no Bairro de Terra Branca, com o objectivo de promover a arte, a cultura e a união entre artistas.

Conforme disse, o projecto “Rua d’Arte” é um exemplo que está a ser replicado em vários sítios de Cabo Verde. “É interessante porque graças a esse projecto o meu bairro tornou-se famoso. Recebemos várias visitas diariamente de turistas e nacionais”.

E conta que estão com o projecto “Rua d’Arte 2” no Bairro de Achada Santo António, que é uma espécie de reprodução daquilo que foi feito na Terra Branca.

Texto originalmente publicado na edição impressa do expresso das ilhas nº 897 de 6 de Fevereiro de 2019.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,9 fev 2019 8:15

Editado porFretson Rocha  em  18 jul 2019 23:22

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.