Lolo Arziki faz campanha de crowdfunding para o filme “Sakudi”

PorDulcina Mendes,7 fev 2021 15:46

A cineasta cabo-verdiana Lolo Arziki está com uma campanha de crowdfunding para produzir o seu filme “Sakudi”.

Este filme, segundo a cineasta, relata vivências e performance de pessoas LGBTQI em Cabo Verde. E, com esta campanha, o projecto do filme está a concorrer aos financiamentos também internacionais.

O título do filme, conforme escreve Lolo Arziki na sua página do Facebook, é uma forma de mexer com o sistema de opressão machista.

Residindo entre Lisboa e Luxemburgo, esta cineasta quer mostrar esse projecto em Cabo Verde e na África.

“O filme tem uma proposta muito interessante a nível de imagem e faz-nos saber um pouco sobre as vivências LGBTQIA+. Não esperem um filme apenas sobre dores e rejeição. É isso e muito mais que constitui uma pessoa. Vai ser produzido pela produtora Kori Kaxoru Films, que tem trabalhado a questão da identidade de Cabo-Verde”, disse a cineasta numa entrevista ao Gerador.

Lolo Arziki conta que criou o projecto “Sakudi” na diáspora. “Quando vim viver para Luxemburgo, conheci um movimento muito interessante da comunidade Queer negra e tive contacto com a comunidade noutros países como a França. Comecei a escrever o “Sakudi” através do conhecimento dessas comunidades negras da diáspora. O objectivo é que seja um projecto amplo, uma série de documentários que começa em África e que depois venha para a diáspora”, avança.

Sakudi

O filme retrata a vivência de seis personagens: Patrícia, uma mulher transexual que é muda e explora outras formas de comunicação; Vanisa Tomlinson, bissexual que vive o conflito da sua sexualidade e crenças religiosas; Fábio Silva que conta o viver na periferia sendo gay; Maya Neves, uma jovem com uma promissora voz na música em Cabo Verde; Ima Tavares, uma trans em transição que sai do conflito entre a sua identidade, a perda dos seus pais e a transfobia no contexto familiar e social; termina com uma história de amor de Elis e Idânia, um casal de lésbicas.

“Sakudi pretende desmistificar o nosso imaginário de representação do Queer negro contando esta história de uma forma contemporânea sendo um documentário experimental”, indica.

Lolo Arziki é licenciada em Cinema pelo Instituto Politécnico de Tomar e tirou um mestrado em Estética e Estudos Artísticos na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. 

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1001 de 3 de Fevereiro de 2021.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,7 fev 2021 15:46

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  19 jun 2021 23:21

pub.
pub.
pub
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.