Prémio Oceanos abre inscrições para 2021 e mapeia literatura em português

PorExpresso das Ilhas, Lusa,17 mar 2021 7:01

As inscrições para a edição deste ano do Oceanos - Prémio de Literatura em Língua Portuguesa abrem na segunda-feira, e decorrerão até 18 de Abril, com um processo de recolha de informações para um banco de dados literários inédito.

Para a edição de 2021, poderão ser inscritos romances, livros de poesia, contos, crónicas e dramaturgia publicados entre 01 de Janeiro e 31 de Dezembro do ano passado.

Podem concorrem obras editadas em qualquer lugar do mundo, desde que escritas originalmente em língua portuguesa, segundo informou a organização do Oceanos em comunicado.

As inscrições podem ser feitas pela editora e/ou pelo autor dos livros, através do preenchimento da ficha de inscrição e a inclusão da obra no 'site' do Itaú Cultural.

"A tecnologia desenvolvida pelo Itaú Cultural permite que todos os livros inscritos e validados pela curadoria do prémio sejam avaliados numa plataforma digital por júris internacionais, compostos por escritores, poetas, professores e críticos literários dos países membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP). As obras passarão por um processo de avaliação realizado em três etapas até chegar a três vencedores", explica o comunicado.

A partir deste ano, além do patrocínio do Banco Itaú e da Direcção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas (DGLAB), de Portugal, e do apoio institucional da CPLP, o Oceanos passa a contar também com a parceria do Instituto Cultural Vale.

Essas instituições estarão, a partir deste ano, a trabalhar em benefício do principal objectivo do Oceanos, que é ampliar o conhecimento sobre as literaturas dos países membros da CPLP através do mapeamento da produção literária em língua portuguesa.

Nesse sentido, junto às inscrições, o prémio dará início a um processo de recolha de informações para a constituição de um banco de dados literários inédito, "que permitirá identificar tendências e lacunas", de acordo com a organização.

Essas informações "serão coligidas, tratadas e analisadas, e aos resultados será dada ampla divulgação junto a todos os actores da dinâmica do livro, na qual se incluem também os órgãos governamentais, educacionais, empresariais, as universidades, a imprensa e o público em geral", diz o comunicado.

“Queremos contribuir para o desenvolvimento do mercado editorial como recurso para o fortalecimento da literatura escrita em língua portuguesa, da profissionalização do autor e do sistema editorial”, advogou a coordenadora do projecto, Selma Caetano.

Em relação ao prémio, o seu processo de avaliação será realizado em três etapas, sendo que na primeira o júri de avaliação elege as 50 obras semifinalistas entre os concorrentes e escolhe, por votação, os membros dos júris subsequentes (etapa intermediário e final).

Na segunda etapa, o júri intermediário seleccionará 10 finalistas entre os 50 semifinalistas eleitos pelo júri anterior. Por fim, na terceira etapa, o júri final definirá os três vencedores entre os 10 finalistas.

Todos os livros inscritos concorrem entre si, independentemente do género literário, pelas três premiações, com valor total de 37.300 euros, sendo que 17.900 euros serão destinados ao primeiro colocado, 11.900 euros para o segundo e 7.470 euros para o terceiro.

A curadoria desta edição é formada pela linguista Adelaide Monteiro, de Cabo Verde, a escritora e jornalista Isabel Lucas, de Portugal, e o jornalista Manuel da Costa Pinto, do Brasil, com coordenação da gestora cultural Selma Caetano.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,17 mar 2021 7:01

Editado porSara Almeida  em  17 mar 2021 16:36

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.