5ª edição do Catchupa Factory arranca com participação de 11 fotógrafos

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,22 jun 2021 7:17

A quinta edição da residência artística Catchupa Factory, promovida pela Associação Olho – de – Gente (AOJE), arrancou esta segunda-feira, no Mindelo, com 11 fotógrafos de Cabo Verde, Angola, Moçambique e Guiné-Bissau, que participa pela primeira vez.

Em conferência de imprensa, o responsável da AOJE, Diogo Bento, explicou que a Catchupa Factory- Novos Fotógrafos é um programa de incentivo à criação artística, em formato de residência artística, dirigido a “fotógrafos e artistas emergentes” dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP).

Segundo a mesma fonte, todos os participantes desta edição vieram da selecção feita em 2020, porque a residência artística desse ano foi cancelada devido à pandemia da covid-19.

Outra particularidade é que, este ano, entre os participantes, o evento contará, pela primeira vez, com a presença de um fotógrafo da Guiné-Bissau.

“Foram seleccionados 11 participantes, sendo três de Angola, três de Moçambique, quatro de Cabo Verde e pela primeira vez temos a presença da Guiné-Bissau que é um factor que nos alegra imenso”, destacou Diogo Bento, para quem esta iniciativa já tem alguma tradição e reconhecimento em Cabo Verde e a nível dos PALOP.

Além da Guiné-Bissau, esta edição da residência artística terá a participação do curador e investigador convidado Alfredo Brant e do formador Akinbode Akinbiyi, natural da Nigéria, e que vive há 15 anos em Alemanha.

Apesar de ser formador, Akinbode Akinbiyi mostrou-se ansioso em participar nesta residência que considera ser um processo de aprendizagem para todos.

“Não vou ensinar, mas nós todos vamos aprender juntos”, afirmou Akinbode Akinbiyi, que se mostrou contente por estar na ilha de São Vicente e por conhecer a cidade do Mindelo.

Por sua vez, a designer Stephanie Silva, participante da ilha de São Vicente, destacou a importância da residência artística, porque, segundo a mesma, vai-lhe permitir “fundir a linguagem do design e a da fotografia numa só”.

“Eu vou complementar o que absorvo do meio onde estou inserida, através da fotografia, misturado com outras técnicas”, afirmou.

Mesma opinião defendeu Samba Baldé, da Guiné–Bissau, para quem a residência vai permitir aos participantes a “partilha de conhecimentos e de maneiras de trabalhos que são diferentes de um país para o outro”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,22 jun 2021 7:17

Editado porAndre Amaral  em  4 dez 2021 23:21

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.