“Como dizem, tudo na vida tem o seu tempo certo, e este é o meu momento”

PorDulcina Mendes,24 nov 2021 7:32

O artista fez o lançamento do seu primeiro álbum intitulado “Amore”, no passado dia 13, no concelho dos Mosteiros, sua terra natal. Isso depois de ter conquistado dois prémios no Cabo Verde Music Awards (CVMA) de Melhor Kizomba e Melhor Videoclipe.

Depois dessa conquista, Buguin Martins decidiu mostrar o seu primeiro álbum, no concelho dos Mosteiros. E este sábado, 27, o artista vai apresentar o seu trabalho discográfico, na cidade da Praia.

Antes da Praia, o trabalho será no concelho de Santa Catarina do Fogo, no Festival de Nha Santa Catarina, que acontece nos dias 25 a 27, no âmbito das festas daquele município. Numa entrevista com o Expresso das Ilhas, Buguin Martins falou do seu primeiro álbum e dos prémios que conquistou nos CVMA 2021.

Buguin Martins faz parte de uma família de músicos, e não teve como fugir dessa arte. A sua primeira experiência foi tocar viola, depois o cavaquinho, para depois passar o baixo, mas foi a cantar que encontrou o seu lugar.

“Participei do concurso musical `Talentos de Mosteiros` realizado pela Câmara Municipal dos Mosteiros e foi quando comecei a surgir na música. Depois disso criei uma banda musical `De Martins`, onde dávamos espectáculos na ilha do Fogo”, conta.

Foi graças a uma dessas actuações que o artista conheceu o músico Dabs Lopes, que o convidou para vir para a cidade da Praia. “Começamos a trabalhar juntos até que surgiu a oportunidade para eu gravar o meu primeiro disco”.

Contudo, antes do CD tinha gravado o tema “Nha Mudjer”, que o lançou na música. “Esse trabalho teve muita aceitação e foi a partir disso que despertei mais para a música.

Buguin Martins explica que é graças a muito trabalho que agora agora chega ao mercado o seu primeiro álbum, mas confessa que há muito tempo que sonhava ter esse projecto a solo. “É um trabalho que levei muito tempo a fazer e só agora consegui finalizar. Como dizem, tudo na vida tem o seu tempo certo, e este é o meu momento”.

Disco

Peste este álbum o artista trouxe estilos musicais como o funaná, kizomba e zouk. “Este álbum é formado por dez faixas musicais, sendo um funaná, um kizomba e as restantes são zouk, em que quase todos os temas são da minha autoria”.

Buguin Martins explicou que escolheu como título do álbum “Amore” para diferenciar e pelo facto de que se não se tem amor não se consegue fazer nada.

No álbum conta com a parceria do artista Zé Espanhol num tema, mas para o próximo trabalho pretende ter mais participações.

De momento, o artista está focado na divulgação do seu disco tendo já shows agendados em Portugal, Paris e Estados Unidos da América e em outras ilhas de Cabo Verde. “Sempre digo que sou uma pessoa de sorte. Desde o início da minha carreira tive bom feedback e os meus trabalhos são sempre bem aceites, pelo que agradeço a Deus e aos meus fãs”.

Novo Álbum

O artista foguense anunciou que está a trabalhar num próximo CD e que já tem temas para esse trabalho. “Tenho um single que sairá em Dezembro próximo e no momento estamos a trabalhar no seu videoclipe com a equipa de Prisma Vídeo de Belomy Xavier. Esse single fará parte desse meu segundo álbum”.

Prémio CVMA

Buguin Martins conta que foi com muita alegria que recebeu os dois prémios nos Cabo Verde Music Awards, “porque há muito tempo que luto para chegar aonde cheguei pelo que não tenho palavras para descrever o que sinto. Só tenho a agradecer aos meus fãs e a todas as pessoas que estiveram do meu lado e que me dão aquele suporte para continuar a trabalhar”.

O artista explica que receber um prémio neste evento era algo que sonhava na sua carreira artística. “Lembro de uma vez em que fui ao CVMA. Um meu amigo arranjou-me uma pulseira para entrar no evento mas não consegui porque estava muito cheio e então fiquei à porta. Isso mexeu comigo pois já estava no mundo da música, mas não era conhecido ainda”.

“Tinha aquele amor pela música, inclusive tinha feito duas músicas mas sem grande impacto. Na altura disse a mim mesmos que um dia ia subir naquele palco para receber algum prémio e aconteceu este ano (2021)”, revela.

Com esse prémio Buguin Martins explica que está a ter mais visibilidade.

“O lançamento do álbum nos Mosteiros foi muito bom, não há lugar onde poderia fazer o lançamento que não fosse lá, pois é onde comecei e recebo muitos incentivos para continuar na música. Não poderia ter sido em outro lugar que não nos Mosteiros, para mostrar o meu amor pelos meus conterrâneos. Tinha que começar o lançamento lá e só depois ir para outros sítios”, salienta.   

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Dulcina Mendes,24 nov 2021 7:32

Editado porSara Almeida  em  25 nov 2021 9:32

pub.

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.