'Oppenheimer' domina noite dos Critics Choice Awards com oito estatuetas

PorExpresso das Ilhas, Lusa,15 jan 2024 8:06

'Oppenheimer' saiu triunfante da 29ª edição dos Critics Choice Awards esta madrugada em Los Angeles, recebendo a estatueta de Melhor Filme num total de oito prémios entregues pela Associação dos Críticos.

O 'blockbuster' da Universal Pictures bateu 'Barbie' nas vitórias, apesar de o filme de Greta Gerwig ter recebido um recorde de 18 nomeações.

"Esta é uma tremenda honra", disse o realizador Christopher Nolan, ao receber o prémio de Melhor Realizador e agradecendo o apoio dos críticos. "Vocês convenceram as audiências de que um filme sobre física quântica e o apocalipse valia a pena", acrescentou.

Robert Downey Jr., que bateu Ryan Gosling e Robert De Niro ao ser considerado Melhor Actor Secundário, fez um discurso divertido no qual disse que "adora críticos" e leu algumas das críticas mais terríveis que foram escritas sobre ele, tal como "ele parece o Pee-wee Herman a emergir de um coma".

A distinção pelo papel de Lewis Strauss, disse o ator, também se deveu ao trabalho de equipa da "santíssima trindade" composta por Christopher Nolan, a produtora Emma Thomas e o protagonista Cillian Murphy.

Todos tiveram a oportunidade de subirem juntos ao palco, incluindo a nomeada Emily Blunt, quando 'Oppenheimer' levou a estatueta de Melhor Elenco.

O compositor Ludwig Göransson viu o seu trabalho premiado com a vitória em Melhor Banda Sonora e o filme venceu também categorias técnicas -- Melhor Fotografia, Melhor Edição e Melhores Efeitos Visuais.

Mas as estatuetas de Melhor Actriz e Melhor Actor foram para outros filmes. Emma Stone conquistou o prémio mais cobiçado pela interpretação de Bella Baxter em 'Pobres Criaturas', o filme de Yorgos Lanthimos que inclui uma interpretação da fadista Carminho, e mostrou-se surpreendida pela vitória, dizendo que não tinha nada preparado.

"Interpretar a Bella foi uma das melhores coisas da minha vida, fez-me desaprender muitas coisas como vergonha e pesos sociais que nos impõem" afirmou. "Ainda estou a trabalhar nisso", continuou, gracejando que estava "muito grata" aos críticos pelo prémio e ao mesmo tempo a aprender a não ligar ao que eles pensam dela.

Já o prémio de Melhor Actor foi entregue a Paul Giamatti pelo papel em 'Os Excluídos', de Alexander Payne, batendo o favorito Cillian Murphy e outros pesos-pesados como Leonardo DiCaprio e Bradley Cooper.

"Vocês são a audiência mais dura que temos, o vosso trabalho é serem duros", disse Giamatti. "É incrível o quão vocês gostaram deste filme, que é sobre conexão", acrescentou.

'Os Excluídos' também deu a Da'Vine Joy Randolph o prémio de Melhor Actriz Secundária e a Dominic Sessa o de Melhor Jovem Actor.

'Barbie', que chegou à cerimónia como o filme mais nomeado, arrecadou várias estatuetas importantes, das quais se destacam Melhor Filme de Comédia, Melhor Argumento Original para Greta Gerwig e Noah Baumbach e Melhor Canção Original para 'I'm Just Ken'.

O filme mais visto do ano foi também o vencedor de Melhor Design de Produção, Melhor Guarda-Roupa e Melhor Caracterização, num total de seis.

'Anatomia de uma Queda' foi o Melhor Filme Estrangeiro e 'Homem-Aranha: Através do Aranhaverso' a Melhor Animação. 'American Fiction' venceu Melhor Argumento Adaptado.

Nas categorias de televisão, destaque para 'Succession', que ganhou Melhor Série Dramática e consagrou Sarah Snook como Melhor Actriz e Kieran Culkin como Melhor Actor.

'The Bear' foi a Melhor Série de Comédia, com Jeremy Allen White a ganhar o prémio de Melhor Actor, Ayo Edebiri o de Melhor Actriz e Ebon Moss-Bachrach o de Melhor Actor Secundário. 'Rixa' foi a Melhor Mini-série, dando também a Ali Wong e Steven Yeun as estatuetas nesta categoria.

Numa noite cheia de estrelas, Harrison Ford foi homenageado com o prémio carreira e mostrou-se visivelmente emocionado no discurso de aceitação. America Ferrera recebeu o prémio 'See Her', que distingue actrizes pelo trabalho que fazem em torno da equidade e inclusão.

Ferrera, que estava nomeada pelo papel em 'Barbie', falou da necessidade de desmontar os preconceitos enraizados e trazer ao de cima personagens latinas com várias camadas e complexidades. "Todos somos dignos de ser vistos", afirmou.

A actriz também agradeceu a Margot Robbie por ter visto o valor da Barbie e a Greta Gerwig por ter destruído barreiras.

"Obrigada, Greta, por provares que as histórias de mulheres não têm dificuldade em atingir grandeza cinematográfica e fazer história nas bilheteiras", salientou Ferrera. "Contar histórias descaradamente femininas não diminui o vosso poder. Expande-o", disse.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,15 jan 2024 8:06

Editado porAndre Amaral  em  3 mar 2024 23:28

pub.

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.