Rising Phoenix – Uma ode ao Desporto Adaptado

PorLeonardo Cunha,4 set 2020 7:45

3

Rising Phoenix (Fénix Ascendente) é o mais recente filme sobre o Movimento Paralímpico lançado pela Netflix na passada quarta-feira (26 de agosto). O filme detalha a história do Movimento Paralímpico desde a sua criação em 1948 (por instigação do médico alemão Ludwig Guttmann enquanto trabalhava no centro de lesões na coluna vertebral de Stoke Mandeville) até aos seus triunfos no Jogos de Rio2016.

A história do filme encontra-se à volta de nove paralímpios inspiradores que contam as suas próprias histórias comoventes. Neste lote de atletas encontramos incluída a bicampeã mundial de cadeira de rodas Bebe Vio, cujo apelido dá o título ao projeto.

O filme está a ser recebido com muita emoção. O próprio presidente do Comité Paralímpico Internacional (IPC) - Andrew Parsons escreveu na sua página de Twitter que "Quem assistir a este filme compreenderá não só o que o Movimento Paralímpico representa, mas terá uma visão diferente ou uma atitude diferente para com pessoas com deficiência. Porque é impossível que vejas este filme e permaneças o mesmo.... Você será positivamente afetado pela mensagem, pela experiência de todos aqueles atletas, pelo próprio Movimento Paralímpico. Por isso, acreditamos que será uma mudança de jogo para o Movimento Paralímpico, e também no que diz respeito à consciencialização da deficiência lá fora.”

Barnaby Spurrier, um dos produtores executivos do filme, partilha a sensação de excitação crescente de Parsons sobre este projeto. Ele reconhece que o crescente entusiasmo à volta do mesmo, a excitação dos média e do próprio publico tem sido algo recompensador e surpreendente.

A Netflix disponibilizou este filme legendado em 30 idiomas e com áudio descrito em 10 idiomas. Haverá também legendas para surdos em 31 idiomas. Além disso, existe uma transcrição descritiva em inglês que fornece informações visuais e áudio para serem lidas através de um dispositivo braille.

Durante o lançamento virtual do filme, no início do mês de agosto, o coprodutor Greg Nugent explicou como as tradicionais fontes de financiamento não tinham sido utilizadas para este projeto. Este facto obrigou aos elementos que estão por trás a pensar fora da caixa para encontrar soluções financeiras para o mesmo.

Igualmente, foi referido que foi de extrema importância o trabalho, envolvimento e uma estreita relação de trabalho desde o primeiro dia com Parsons e Craig Spence (que é o diretor de marca e comunicações do IPC). Igualmente foi destacado o trabalho do anterior presidente do IPC - Sir Philip Craven, que foi um elemento de muita emotividade durante todo o processo.

Este projeto cinematográfico está a ter um impacto significativo na perceção da importância do Movimento Paralímpico Internacional. Esta perceção permite a que qualquer membro da sociedade compreenda a mensagem de chamamento para a acão que ela incute a todos nós.

A dimensão global deste projeto, e por ser estreado num momento tão singular da história da humanidade, faz reacender a reflexão sobre os valores do IPC de determinação, igualdade, inspiração e coragem. Uma reflexão que deve ser feita desde o bairro da periferia da capital de um país no medio atlântico como Cabo Verde até ao podium dos próximos Jogos Paralímpicos de Tokyo2020.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Leonardo Cunha,4 set 2020 7:45

Editado porSara Almeida  em  6 set 2020 16:40

3

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.