Strug, Bales e a proteção dos atletas

PorLeonardo Cunha,30 jul 2021 9:15

Kerri Strug é uma atleta que participou nos Jogos Olímpicos de 1996 como membro da equipa feminina de ginástica dos EUA, muitas vezes referida como os Sete Magníficos. Ela fez parte da equipa que conquistou pela primeira vez a medalha de ouro na competição coletiva.

Na competição por equipas, um evento dominado pelos soviéticos durante décadas e nunca vencido pelos Estados Unidos, os EUA competiram contra as equipas russa, romena e ucraniana. Os russos entraram na competição por equipas com uma vantagem muito estreita. Strug foi a última a saltar para os Estados Unidos. No salto final, Strug estava lesionada no tornozelo, no entanto, precisava de aterrar nos seus pés para conquistar matematicamente o ouro.

No intervalo de tempo Strug, perguntou: "Precisamos disto?" na qual a sua treinadora Károlyi respondeu: "Kerri, precisamos que vá mais uma vez. Precisamos que seremos mais uma vez pelo ouro. Podes fazê-lo, é melhor fazê-lo." Strug, assim, foi até ao final da pista para fazer a sua segunda tentativa. Ela aterrou brevemente em ambos os pés, quase instantaneamente saltando para o seu “bom” pé, saudando os juízes. Em seguida, desmaiou de joelhos e precisou de ajuda fora da plataforma de aterragem, ao que o desportista John Tesh comentou: "Kerri Strug está ferida! Ela está gravemente ferida." O salto completo recebeu uma pontuação de 9.712, garantindo matematicamente aos norte-americanos a medalha de ouro. Strug tornou-se um herói desportivo nacional, visitando o Presidente Bill Clinton, aparecendo em vários talk shows de televisão, fazendo a capa do Sports Illustrated.

Esta semana, durante os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020, a supermedalhada olímpica Simone Biles retirou-se da final individual feminina para se concentrar na sua saúde mental. Biles, que deveria defender o título amanhã, saiu da final da equipa aqui ontem, citando problemas de saúde mental. A jovem de 24 anos disse ontem à noite que iria competir no evento individual, mas a Ginástica dos EUA e confirmou que decidiu retirar-se "após nova avaliação médica".

Biles, amplamente considerado a melhor de todos os tempos, pretendia tornar-se a primeira ginasta a manter uma coroa olímpica desde que Vera Caslavska alcançou o feito em 1964 e 1968. Biles, 19 vezes campeão do mundo, foi substituída por Jade Carey para a final.

"Senti-me muito confortável ao entrar nos Jogos Olímpicos e depois não sei o que aconteceu", disse Biles. "Só de passar por cada um dos dias e o treino pareceu um pouco mais difícil. "Tenho de fazer o que é certo para mim e concentrar-me na minha saúde mental e não pôr em risco a minha saúde e bem-estar. "Foi por isso que decidi dar um passo atrás." Disse antes da final da equipa que estava a sentir o "peso do mundo nos ombros".

As atletas Biles e Strug tem várias coisas em comum, entre as quais, representarem a seleção norte-americana de ginástica, serem mulheres, serem reconhecidas como ícones do desporto norte-americano. Contudo, partilham outra coisa que pode passar despercebido á primeira vista, mas obvia quando verbalizada. As duas atletas são antes mais pessoas que devem ser respeitadas pelas suas decisões, sejam quais as circunstâncias das mesmas. Strug decidiu na altura saltar para garantir o ouro enquanto Biles decidiu não continuar em prova para garantir a sua saúde mental.

Ambas as decisões foram de grande coragem moral e leva a refletir que no final devemos sempre proteger as decisões dos atletas, sendo os mesmos o elemento central do olimpismo e os mesmo devem se sentir acarinhados, apoiados e motivados seja nos momentos de glória ou nos momentos que precisam de estar mais reservados para garantir a sua integridade.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Leonardo Cunha,30 jul 2021 9:15

Editado porAndre Amaral  em  30 jul 2021 18:47

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.