OPEP baixa estimativa do consumo de petróleo mundial em 200.000 barris

PorExpresso das Ilhas, Lusa,14 nov 2022 15:52

A OPEP baixou a estimativa do consumo mundial de petróleo até ao fim de 2023 em menos 200.000 barris por dia, devido ao impacto económico da invasão da Ucrânia pela Rússia e aos confinamentos na China, foi hoje anunciado.

No relatório mensal, a OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) estima que a procura de "ouro negro" será em média de 99,57 milhões de barris por dia, este ano, mais 2,43% do que no ano passado, mas menos 100.000 barris por dia do que o calculado há um mês.

A OPEP também reduziu em mais 100.000 barris por dia a previsão de crescimento para 2023 e agora coloca-o em 2,24 milhões de barris por dia (2,25%) - em vez dos 2,34 milhões de barris por dia previstos em outubro - de modo a que o consumo seja em média de 101,82 milhões de barris por dia no próximo ano ou menos 200 milhões de barris por dia do que o esperado.

A continuação da estratégia "zero-covid-19" da China, com as repetidas restrições severas à mobilidade para combater quaisquer surtos do novo coronavírus, é uma das razões para a revisão em baixa.

O documento atribui-o também a "incertezas geopolíticas contínuas (a guerra na Ucrânia) e ao enfraquecimento das atividades económicas".

No entanto, os peritos da OPEP deixaram inalterado o crescimento económico global para 2022 e 2023, em 2,7% e 2,5% respetivamente, nos quais baseia as suas estimativas, embora alerte para um elevado grau de "incerteza".

O aumento da procura de petróleo este ano será partilhado igualmente entre nações industrializadas agrupadas na Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) e países não-OCDE, mas será muito diferente em 2023.

De acordo com a visão apresentada hoje, o aumento anual de 1,3 milhões de barris que a OCDE irá apresentar em 2022, com o consumo total de petróleo a 46,1 milhões de barris, cairá para 0,3 milhões de barris por dia no próximo ano, elevando a procura para 46,5 mbd.

Em contraste, para os países não pertencentes à OPEP, a organização prevê que a procura adicional irá aumentar de 1,3 milhões de barris por dia este ano (o mesmo que na região da OCDE) para 1,9 milhões de barris por dia em 2023, levando estas nações a queimar um total de 55,4 milhões de barris por dia.

Este forte crescimento será liderado pela China e pela Índia, observa o relatório.

Apesar das incertezas, a OPEP espera "um aumento constante da procura de combustíveis industriais e de transportes, apoiado por uma possível recuperação da atividade económica" nas grandes economias.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Tópicos

OPEP

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,14 nov 2022 15:52

Editado porAndre Amaral  em  15 nov 2022 14:15

pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.