Hoje é dia de Expresso das Ilhas. Destaques da Edição 801

PorAntónio Monteiro,5 abr 2017 1:08

Nesta edição, o Expresso das Ilhas faz manchete com uma análise à verdadeira face do desemprego em Cabo Verde. A taxa de desemprego é calculada comparando o número de desempregados com a totalidade da chamada população activa, ou seja, grosso modo, a população com idade compreendida entre os 15 e os 65 anos, deduzida dos inactivos da mesma  faixa etária. E assim, a taxa de desemprego tem tendência a diminuir quando o número de  desempregados “desanimados” aumenta ( estes desanimados são retirados da população activa)  e tende a aumentar  quando o número dos “desanimados” diminui (são acrescentados à população activa). A questão que se coloca é a seguinte : estas pessoas, que estão realmente desempregadas, não devem ser consideradas como tal pelo INE? Devem estes desempregados ser considerados inactivos (recorde-se que são pessoas em idade de trabalhar, que querem trabalhar, mas desistiram de procurar emprego pelas razões acima apontadas) como, por exemplo os reformados, os que frequentam aulas, os doentes, inválidos, acidentados, os que  não tarbalham por causa de responsabilidade familiares, estes sim verdadeiraente inactivos na acepção estatística do termo?

 

Também neste número, África: O ponto de viragem. O continente africano atravessa um equilíbrio precário, continua a fazer progressos, mas enfrenta um risco real de retrocesso. Mais do que de qualquer outro factor, o futuro de África depende da capacidade para aproveitar a energia dos jovens e satisfazer suas expectativas. Este é o ponto de partida do fórum Mo Ibrahim, que decorre no próximo dia 8, em Marraquexe, Marrocos. No lançamento do fórum, Mo Ibrahim disse: “a energia e ambição dos jovens africanos é nosso maior recurso e melhor esperança para impulsionarmos o progresso do nosso continente. Contudo, as suas expectativas podem transformar-se em frustração e revolta, a não ser que encontrem emprego e tenham a oportunidade de influenciar seu próprio futuro. África encontra-se num ponto de viragem. As decisões tomadas agora determinarão se o nosso continente continua a crescer ou retrocede. Mais do que nunca, uma liderança prudente e uma governação sólida são fundamentais.”

A entrevista com Jorge Nogueira, Presidente da Câmara de São Filipe, é outro dos destaques: “Se tudo correr bem, passaremos a ter mais de 100 mil turistas/ano na ilha do Fogo”. Dois campos relvados, outras tantas placas desportivas, um jardim creche numa zona carenciada, 200 a 250 casas a serem reabilitadas e arranque do programa de recuperação e preservação de património arquitectónico. Este é o plano de actividades prioritárias, a curto prazo, da Câmara Municipal liderada por Jorge Nogueira, depois de um início de mandato “complicado” em que diz ter posto o seu programa de governo em stand by para arrumar a casa. O Expresso das Ilhas esteve na ilha do Fogo e conversou com o edil de São Filipe sobre a situação do município, as prioridades de desenvolvimento e a sua visão sobre o futuro da autarquia, que em grande parte abrange toda a ilha. Um futuro para o qual só vai trabalhar, como Presidente da Câmara, por quatro anos. Categoricamente afirma que não se recandidata em 2021.

Também nesta edição, Projecto inovador vai ensinar programação às crianças. Num mundo global e cada vez mais informatizado, a literacia digital e a computação são instrumentos fundamentais de inclusão, criação de oportunidades e sucesso. Assim, proporcionar às crianças conhecimentos sobre as Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) assume-se como uma aposta educativa crescente. É neste contexto que, em Cabo Verde, nasceu o projecto Coding “Introdução à Programação”, que arrancou na semana passada com uma formação aos professores e vai abranger três escolas-piloto.

História da Aéropostale cai no esquecimento.  A menos de cinco minutos do centro da cidade da Praia, na pacata aldeia de Calheta de São Martinho, município de Ribeira Grande de Santiago, situam-se as ruínas do edifício da mítica companhia aérea francesa, a Aéropostale, como que à espera de um projecto turístico e/ou de revitalização dos últimos fiapos da sua história. Facto é que o passado glorioso da travessia do Atlântico empreendida pela Aéropostale, empresa pioneira a cortar os céus do Atlântico levando correios na bagagem, faz recrudescer as potencialidades turísticas do local. “Paradoxalmente o património material da antiga hidrobase, embora de evidente valor histórico e museológico não é valorizado nem incluído nos roteiros turísticos”, refere num estudo sobre esta matéria feito pelo professor Wlodzimierz Szymaniak.

No desporto, Filomena Fortes Presidente do Comité Olímpico Cabo-verdiano: Somos um país pequeno, mas com um Comité Olímpico muito dinâmico. Com três anos na presidência do Comité Olímpico Cabo-verdiano, COC, a presidente Filomena Fortes traça um diagnóstico relevante do organismo que rege e apresenta ganhos alcançados a nível internacional e nacional com reflexo no desporto cabo-verdiano. Centralizou a sua intervenção em 2016, ano dos Jogos Olímpicos, em quatro prioridades essenciais para estruturar a base de suporte virada para Missão Rio’2016: desenvolvimento da estrutura administrativa, desenvolvimento e candidatura a financiamento e apoio a todas as federações das actividades programadas no quadro da agenda 2020 do COI. Candidata natural à sua própria sucessão, Fortes e a sua equipa têm um projecto ambicioso para 2017 com Cabo Verde a acolher vários eventos olímpicos internacionais.

No interior, a opinião de Eurídice Monteiro, Ágora virtual; e de Manuel Brito-Semedo, Cabo Verde 100 Poemas Escolhidos.

 

 

 

 

 

 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:António Monteiro,5 abr 2017 1:08

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.