Destaques da edição 845

PorExpresso das Ilhas,7 fev 2018 1:53

Nesta edição, o Expresso das Ilhas faz manchete com a festa do Rei Momo: São Vicente – O Carnaval mora aqui. Reportagem com os grupos que vão disputar o Carnaval Mindelense e que já estão na fase final de preparação para os desfiles dos dias 12 e 13.

Em São Vicente, a animação começa muito antes, mas a noite de segunda-feira e a tarde de terça continuam a ser os pontos altos de uma festa com expressão que ultrapassa as fronteiras da ilha e, cada vez mais, do próprio país. Fomos espreitar os preparativos e contamos-lhe [quase] tudo.

Também neste número, a entrevista com o presidente do IPC, Jair Fernandes: Só o património traz valor acrescentado ao turismo. Com um orçamento ampliado em mais de 250% e projectos como o dossier de candidatura da morna a património imaterial, a revalorização dos Museus de Cabo Verde e o Plano Nacional de Gestão da Cidade Velha, o Instituto do Património Cultural entrou numa nova fase que irá culminar, ainda este ano, com a revisão do pacote legislativo ligado ao património cultural. Nos próximos meses o Instituto verá o seu estatuto adequar-se à lei dos Institutos Públicos, podendo assim consolidar o seu conselho científico e criar o conselho nacional, a ser integrado por departamentos governamentais mas também pela sociedade civil. A lei de base do património será também actualizada dando maiores poderes ao IPC.

Mulheres nas STEM: Desigualdades no mundo binário. São as áreas com maior taxa de empregabilidade. São também aquelas onde se encontram empregos com salários superiores à média. Falamos das CTEM — Ciências, Tecnologia, Engenharia e Matemática (ou STEM, em inglês), áreas onde, cada vez mais, surgem as melhores oportunidades. Contudo, estas continuam a ser maioritariamente masculinas, numa (des)proporção que é gritante. Apostar na presença feminina nas STEM é empoderar as mulheres, esbatendo os rostos da pobreza. Uma menina de cada vez, num continente onde, já por si, ainda há muito a fazer. Este é um debate importante, concordam as “mulheres STEM” que aqui dão voz ao tema e à causa.

CPI TACV: Falta de solidez da empresa impediu privatização. A empresa era pouco apetecível, defendeu Sara Lopes durante a sua audição na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) sobre a gestão da TACV. No entanto, a antiga governante também defendeu que a companhia da bandeira cumpriu claramente a obrigação dos serviços públicos, de forma a ligar a diáspora, manter as ilhas conectadas, transportar doentes, de entre muitas outras missões públicas.

Alerta FMI: BCV diz que fim de correspondência teve impacto moderado na banca nacional. “Em Cabo Verde”, explica o Banco de Cabo Verde, de uma forma geral, os bancos “perderam relações com muitos bancos correspondentes desde 2013, traduzido no encerramento de algumas contas nas principais moedas de transacção internacional, nomeadamente em dólar dos EUA. Contudo, o impacto sobre o sistema bancário, até ao momento, tem sido moderado na medida em que os bancos souberam arranjar soluções, embora com custos mais elevados para as transacções em dólar”.

Mais duas crianças desaparecidas na Praia. Desde sábado, ninguém sabe onde estão Clarisse Mendes (Nina), 9 anos, e Sandro Mendes (Filú), de 11 anos. Os dois menores, que também são primos, saíram de casa à tarde para ir comprar açúcar e não regressaram.

África subsaariana: Diversificação económica e criação de emprego. No início do ano, o consultor mauriciano Dev Chamroo, dizia em entrevista ao Expresso das Ilhas que, graças à CNN, África partia sempre de uma posição mais frágil em relação aos outros continentes, ou seja, tinha de trabalhar mais para provar que era tanto como os outros. Hollywood também meteu a sua colherada, quando transformou uma deixa do filme Rei Leão numa espécie de filosofia continental: Hakuna Matata, frase que traduzida do suaíli significa “goza o presente sem quaisquer preocupações”. Mas mais do que nunca, a principal preocupação é o futuro e o desafio número um da África subsaariana é a necessária transformação estrutural para fazer face à jovem e cada vez maior força de trabalho da sub-região. Assim, surgem os imperativos gémeos: o crescimento económico e a criação de oportunidades de trabalho.

No interior, a opinião de César Monteiro, Cultura de cidadania.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,7 fev 2018 1:53

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  7 fev 2018 7:48

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.