Twitter baniu anúncios políticos. Facebook não fará o mesmo

PorExpresso das Ilhas,31 out 2019 8:26

“Numa democracia, não acredito que as empresas privadas tenham o direito de censurar políticos ou notícias”, apontou Mark Zuckerberg.

Pouco depois de o CEO do Twitter, Jack Dorsey, anunciar que seriam abolidos os anúncios políticos na plataforma, foi a vez do fundador e CEO do Facebook, Mark Zuckerberg, se pronunciar sobre o tema. Numa chamada com investidores realizada a propósito dos resultados financeiros trimestrais da empresa, Zuckerberg voltou a defender a permanência dos anúncios políticos.

“Numa democracia, não acredito que as empresas privadas tenham o direito de censurar políticos ou notícias. E apesar de ter considerado no passado se devia continuar com estes anúncios, e continuarei a fazê-lo, acredito que devemos continuar. Os anúncios são uma parte importante da voz – especialmente para candidatos e grupos de defesa que os media podem não cobrir de outra forma e que podem lançar as suas mensagens em debates”, afirmou Zuckerberg.

O líder da gigante tecnológica adiantou ainda que admite “ser difícil definir onde se deve traçar a linha”, conta o Business Insider. “Bloquearíamos anúncios para questões políticas importantes como as alterações climáticas ou o empoderamento feminino? Em vez disso, acho que a melhor abordagem é trabalhar para aumentar a transparência”, apontou.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,31 out 2019 8:26

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  18 nov 2019 18:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.