Assistente virtual da Amazon pode ter sido 'testemunha' de homicídio

PorExpresso das Ilhas,5 nov 2019 8:16

Assistentes virtuais, como a Alexa, têm-se mostrado cruciais na investigação de crimes. Um dos casos mais recentes ocorreu na Flórida, nos EUA, em que o dispositivo da Amazon pode ter sido testemunha num possível homicídio.

As autoridades norte-americanas irão agora analisar as gravações que constam no dispositivo, sendo que pode vir a ser um elemento chave no apuramento da verdade.

Em Julho, Sylvia Galva Crespo, de trinta e dois anos, foi morta na sua própria casa com uma lança no peito. O marido, Adam Crespo, de quarenta e três anos, é o principal suspeito neste possível homicídio.

O suspeito afirma que se tratou de um ‘misterioso acidente’, mas a Alexa – presente nos dispositivos Amazon Echo – poderá ser um elemento chave para este caso.

Na divisão da casa onde a vítima foi atingida pela lança está um destes dispositivos. Através da Alexa, a assistente pessoal que é activada com o chamamento do seu nome, as autoridades acreditam que poderão conseguir informações cruciais na investigação.

“Acredita-se que evidências do crime, gravações em áudio que captam o ataque à vítima Silvia Crespo que ocorreu no quarto principal… Possam ser encontradas no servidor mantido pela ou para a Amazon”.

Segundo o relatório policial, o casal havia discutido depois de uma noite fora. Durante a discussão, que coincide com o momento em que as autoridades suspeitam que ocorreu o crime, pode ter havido captação de áudio por parte da Alexa.

Por norma, o dispositivo apenas ouve e armazena os comandos quando se chama pelo nome da assistente pessoal. Assim, as esperanças da polícia norte-americana são que tal tenha acontecido algures no fatídico momento da morte de Sylvia Galva Crespo.

Casos como estes têm sido cada vez mais comuns à medida que as colunas inteligentes com assistentes virtuais começam a habitar nos nossos lares.

Apesar de, pelo menos em teoria, apenas registarem o som envolvente quando se chama a assistente, estes dispositivos podem ser cruciais nestes casos caso as gravações contenham material que ajude a investigação das autoridades

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,5 nov 2019 8:16

Editado porSara Almeida  em  18 nov 2019 13:19

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.