Sites de fake news sobre COVID-19 geram milhões de dólares através dos anúncios da Google e Amazon

PorExpresso das Ilhas,10 jul 2020 9:13

Um relatório da Global Disinformation Index (GDI) revela que a Google e a Amazon estão a vender anúncios em websites que disseminam teorias da conspiração e informações falsas acerca da pandemia de COVID-19. Os investigadores da organização britânica estimam que os anúncios tenham gerado ao todo 25 milhões de dólares em receitas para as plataformas que publicam desinformação.

A investigação analisou 480 websites em língua inglesa que publicam frequentemente informações falsas acerca da COVID-19 e descobriu que 95% dos anúncios são apresentados através dos serviços da Google, Amazon e OpenX, com 75% das publicidades a recorrer à plataforma da gigante de Mountain View.

Estima-se que os anúncios que surgiam através do Google Adsense tenham gerado 19,2 milhões de dólares em receitas. Já os que eram apresentados pelos serviços da OpenX somaram cerca de 2,6 milhões de dólares e os da Amazon 1,7 milhões de dólares.

O relatório detalha que foram encontrados múltiplos anúncios de empresas como a Ebay, a Microsoft, a Nissan, a T-Mobile, a L’Oreal, a Bloomberg e até a P&G ou a Johnson & Johnson.

Os especialistas explicam que as publicidades a grandes marcas foram também encontradas em artigos confirmados como falsos acerca de curas para a COVID-19, medidas de vigilância estatal e teorias que apontam o Governo chinês ou uma elite global de governantes como os culpados da propagação do vírus.

Embora as gigantes tecnológicas tenham unido esforços para combater a desinformação relacionada com a pandemia, a GDI afirma que as plataformas ainda têm muito trabalho a fazer para travar a propagação de informação falsa e que as conclusões da investigação revelam apenas a ponta do “iceberg”.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,10 jul 2020 9:13

Editado porAndre Amaral  em  10 jul 2020 9:13

pub.
pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.