Prémio Nobel da Química 2020 atribuído a cientistas que criaram método de edição do genoma

PorExpresso das Ilhas,7 out 2020 10:47

A Real Academia Sueca das Ciências atribuiu hoje o prémio Nobel da Química a Emmanuelle Charpentier e Jennifer Doudna pela criação de um método de edição do genoma. É a primeira vez na história que duas mulheres ganham, juntas, o Nobel de Química.

Este método de engenharia genética permite "reescrever o código da vida", afirmou o secretário-geral da Academia, Goran Hansson, na cerimónia de anúncio do prémio, em Estocolmo.

O prémio foi atribuído pela descoberta do Crispr, método de edição do genoma.

Charpentier falou com a imprensa logo após o anúncio do prémio e respondeu a uma pergunta sobre ela e Doudna serem as primeiras mulheres a levarem, conjuntamente, o Nobel.

"Eu gostaria de passar uma mensagem positiva a meninas que gostariam de seguir o caminho da ciência. Acho que nós mostramos a elas que, em princípio, uma mulher na ciência pode ter impacto na ciência que elas estão fazendo. Espero que Jennifer Doudna e eu possamos passar uma mensagem forte às meninas", declarou.

Antes de Charpentier e Doudna, cinco mulheres já tinham sido galardoadas com o Nobel em Química: Marie Curie (1911), Irène Joliot-Curie (1935), Dorothy Crowfoot Hodgkin (1964), Ada E. Yonath (2009) e Frances H. Arnold (2018).

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,7 out 2020 10:47

Editado porSara Almeida  em  7 out 2020 10:47

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.