Apagão na internet foi causado por um único cliente

PorExpresso das Ilhas,10 jun 2021 7:46

Falha num servidor colocou offline várias páginas de meios de comunicação social e de entidades governamentais.

O apagão que afectou dezenas de páginas de internet, a nível mundial, na terça-feira, foi causado por um único cliente a tentar actualizar as suas definições de página, indicou esta quarta-feira, ao Guardian, o fornecedor de serviços de internet norte-americano Fastly.

Nick Rockwell, responsável por engenharia e infraestrutura, explicou que a falha foi causada por um 'bug' que foi introduzido no código em meados de Maio e que ficou dormente até terça-feira de manhã, quando o cliente - que não foi identificado - actualizou as suas definições e ativou o 'bug', que colocou offline cerca de 85% da rede do servidor.

"Detectamos a disrupção em um minuto, identificámos e isolámos a causa, e desactivámos a configuração. Em 49 minutos, 95% da nossa rede estava a funcionar na normalidade", indicou o responsável, à mesma publicação.

Ainda assim, Rockwell admite que a empresa "devia ter antecipado" este tipo de falha, mesmo tendo sido espoletada por condições muito específicas. "Nós providenciamos serviços de importância crítica e tratamos qualquer ação que possa causar interrupções nos serviços com a maior sensibilidade e prioridade. Pedimos desculpa pelo apagão aos nossos clientes e àqueles que contam com eles e agradecemos à comunidade pelo apoio", afirmou.

Recorde-se que, por causa do erro, várias páginas de meios de comunicação social, de entidades governamentais, redes sociais e plataformas de compras em rede começaram a ficar offline por volta das 09h00 (hora de Cabo Verde), sendo que minutos antes a Fastly publicava um aviso sobre "impactos" nos serviços CND (canais de distribuição de conteúdos).

Às 09:44 a empresa indicava que o problema tinha sido identificado e que estava a encontrar uma solução.

Entre outros, estiveram afectados os serviços das publicações digitais dos jornais New York Times, The Guardian, Financial Times e Le Monde, além da plataforma Amazon. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,10 jun 2021 7:46

Editado porAndre Amaral  em  10 jun 2021 7:46

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.