Richard Branson viaja ao limite do espaço com sua própria nave

PorExpresso das Ilhas,17 jul 2021 15:06

O fundador da Virgin Galactic tem como objectivo oferecer o turismo espacial para quem puder pagar. A viagem ao espaço demorou cerca de uma hora e levou seis tripulantes.

Seis pessoas, incluindo o empresário bilionário Richard Branson, efectuaram este domingo,11, a sua primeira viagem ao espaço a bordo do avião VSS Unity, que descolou e aterrou com sucesso da base SpacePort America, no deserto do Novo México, nos Estados Unidos. A viagem foi bem-sucedida e, depois de o avião-foguete ter largado a nave-mãe, a tripulação chegou a sentir gravidade zero durante aproximadamente quatro minutos. No fim da viagem, o bilionário sorriu e aplaudiu.

“Estamos aqui para tornar o espaço mais acessível a todos”, disse Branson, citado pelo jornal Público, logo depois da aterragem. “Bem-vindos ao amanhecer de uma nova era espacial”.

A nave levou os seis tripulantes para um voo suborbital a 85,9 quilómetros de altitude, acima do que a NASA considera ser o limite do espaço. Após hora e meia de atraso devido às condições meteorológicas, o avião espacial da Virgin Galactic descolou perto das 8h40 (15h40 em Lisboa). A viagem de regresso culminou cerca das 9h40 (16h40 em Lisboa).

Desde que a nave deixou o solo até ao momento em que pousou novamente nele, a viagem durou uma hora. Foi a quarta missão tripulada além da atmosfera terrestre, mas a primeira com passageiros.

“É um lindo dia para ir ao espaço”, escreveu no Twitter Richard Branson, de 70 anos, que viveu a aventura mais ousada face ao desejo antigo de voar no espaço, publicando ainda uma foto com o colega bilionário e rival do turismo espacial Elon Musk.

Branson, que levou consigo outros cinco funcionários da Virgin Galactic Holding Inc, tem divulgado a viagem como o princípio de uma nova era no turismo espacial, com a empresa determinada a começar as viagens comerciais no próximo ano. E já terá centenas de passageiros ricos com reservas de bilhetes que custam cerca de 250 mil dólares.

O papel oficial de Branson neste voo foi o de avaliar “a experiência do astronauta privado” e melhorar a viagem de futuros clientes.

O fundador da Virgin esteve para não realizar este voo até ao final do Verão, mas mudou de ideias assim que o bilionário Jeff Bezos, fundador da gigante tecnológica Amazon, programou embarcar na primeira viagem ao espaço da Blue Origin em 20 de Julho, coincidindo com o 52.º aniversário da chegada de Neil Armstrong e Buzz Aldrin à Lua.

Mercado lucrativo

Este é um mercado que pode valer milhares de milhões, mas primeiro é crucial demonstrar a segurança das viagens. Um protótipo mais antigo da nave da Virgin Galactic caiu no deserto californiano em 2014, causado a morte do piloto e assustando potenciais clientes.

Ao contrário das viagens espaciais tradicionais, em que os astronautas circulam pela Terra e flutuam no espaço por dias, os voos da Virgin Galactic são viagens curtas, para cima e para baixo. Mas a nave percorreu mais de 50 milhas acima da Terra, algo que o governo dos EUA considera marcar a fronteira do espaço sideral.

Na aventura do turismo espacial destaca-se ainda mais um concorrente, o empresário Elon Musk que tem investido milhares de milhões de dólares neste negócio de levar pessoas ao espaço.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1024 de 14 de Julho de 2021.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,17 jul 2021 15:06

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  17 jul 2021 15:06

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.