Estudo descobre comportamento desconhecido do metabolismo em quatro fases da vida

PorExpresso das Ilhas,22 ago 2021 7:28

A capacidade de queimar calorias atinge o pico no primeiro ano, diminui até os 20 anos, permanece estável até os 60 anos e decai na terceira idade.

O metabolismo, conjunto de reacções químicas que ocorrem nas células do corpo para transformar os alimentos em energia, é uma vítima propícia e habitual para justificar o aumento de peso, sob o argumento de que o corpo perde potencial de queimar calorias. Um artigo publicado na quinta-feira passada na revista Science desmente essa crença e revela que essa capacidade aumenta no primeiro ano de vida, quando o corpo precisa completar a maturidade de seus sistemas, diminui até os 20 anos, mantém-se estável até os 60 e reduz-se na terceira idade.

O estudo, cujo autor principal é Herman Pontzer, da Universidade Duke (EUA), colheu informação de 6.500 pessoas de idades compreendidas entre 8 dias e 95 anos. Além de identificar os quatro períodos fundamentais do metabolismo, também acaba com outro mito de género. Segundo a pesquisa, “não há diferenças reais entre as taxas metabólicas de homens e mulheres se as condições forem semelhantes”.

O trabalho revela que “o gasto energético diário total acelera rapidamente em recém-nascidos e chega a ser o dobro do valor médio dos adultos”. No entanto, após um ano, diminui até chegar a níveis que, entre os 20 e os 60 anos, se mantêm estáveis. A partir dessa idade, essa característica diminui até chegar aos níveis mais baixos nos últimos anos de vida. “Essas mudanças jogam luz sobre o desenvolvimento humano e o envelhecimento e devem ajudar a dar forma às estratégias de nutrição e saúde ao longo da vida”, diz Pontzer, citado pelo El País.

Rozalyn Anderson, professora de medicina na Universidade Wisconsin-Madison, onde a especialista estuda o envelhecimento, completa o trabalho de Pontzer com um artigo que acompanha a pesquisa e destaca que a mesma leva à revisão de ideias existentes. Nesse sentido, afirma: “O metabolismo não se trata somente de energia, de como o corpo maneja o combustível nutritivo e o transforma em moeda energética utilizável. O metabolismo também diz respeito a itens como síntese, modificação e troca de todos os aspectos da função celular. Age como sensor e regulador. As exigências energéticas da atividade física se sobrepõem a uma engrenagem amplamente integrada”.

Segundo o estudo, o metabolismo só começa a perder capacidade aos 60 anos. A partir daí perde a cada ano 0,7% de poder, de modo que uma pessoa nonagenária passa a precisar de 26% menos de calorias do que há quarenta anos.

Texto originalmente publicado na edição impressa do Expresso das Ilhas nº 1029 de 18 de Agosto de 2021. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,22 ago 2021 7:28

Editado porSara Almeida  em  22 ago 2021 7:28

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.