Butiki na mon, rimas na boca

PorChissana Magalhães,6 set 2018 14:34

Butiki na Mon faz sucesso
Butiki na Mon faz sucesso(captação vídeo Neusa de Pina)

Se tem circulado pela Rua Pedonal 5 de Julho, na Praia, provavelmente já se cruzou com Ruddy, um jovem de 21 anos que para fintar o desemprego resolveu criar o seu próprio negócio. A novidade está na forma que encontrou para chamar atenção para os seus produtos e que está a encantar os transeuntes e internautas.

Numa manhã de sábado, no Plateau, descobrimos Ruddy quando o jovem alto e sorridente aproximou-se dos clientes de uma das esplanadas a cantar rimas engraçadas sobre os seus batons, que apresenta num tabuleiro de plástico juntamente com resmas de lápis de olhos, riméis, entre outros produtos cosméticos e itens de maquiagem.

De diferente das dezenas de vendedores ambulantes que circulam rapidamente pela rua pedonal 5 de Julho - a Guarda Municipal não lhes permite estacionar ali para fazer as suas vendas – Ruddy tem não só os produtos (não é comum homens a venderem  cosméticos pelas ruas) como a técnica de venda. Para chamar a atenção para os seus produtos o jovem de 21 anos, residente em Castelão, resolveu apostar num pregão em rimas.

A cantoria tem resultado e o vendedor está a tornar-se uma figura conhecida. Nas redes sociais – onde criou a página da sua marca, Butiki na Mon, alguns famosos contribuíram para aumentar a sua visibilidade ao partilharem um vídeo da sua “performance”. A cantora Neusa de Pina foi uma dessas pessoas e o vídeo que partilhou já leva perto de 43 mil visualizações e quase 500 partilhas. Ruddy e os seus batons também já foram destaque num programa de TV.

“ Ka ta da pa ka cumpra”. Não dá para não comprar, diz Neusa de Pina no comentário a acompanhar o vídeo. E nós pudemos atestar que é assim mesmo. Depois da cantar as rimas sobre o seu “batom bom ke sta na promoson pa bo entra na tom”, várias pessoas estenderam as mãos para o tabuleiro e compraram pelo menos um item.

“Por dia consigo vender entre 2000 e 3000 escudos”, revela o vendedor que assim consegue ajudar a família – vive com a mãe e três irmãos – e pagar os seus estudos. Outra parte do dinheiro é reinvestida no negócio e assim foi que aumentou o seu stock de produtos.

Ruddy começou por vender os seus batons nos liceus e nas universidades, isso desde o mês de Março deste ano. “Levava numa mochila e ia vendendo”. Com as férias procurou outros pontos de venda e começou a percorrer as ruas. E foi então que introduziu o pregão com rimas, notando imediatamente a diferença no interesse das pessoas.

A ideia de começar a vender cosméticos veio da pesquisa que realizou na internet em que ficou a saber que cosméticos, vestuários e alimentação são as ideias de pequenos negócios mais fadadas ao sucesso. Optou pelos cosméticos. Tinha uma pequena quantia guardada e investiu nos primeiros itens. Com o sucesso nas vendas aumentou a quantidade de produtos e o tabuleiro onde as transporta. Criou uma página no Facebook e, no dia em que o encontramos, estreava a t-shirt que mandou fazer e onde se lê o seu slogan: “Nha Baton é Bom”.

Ter um negócio de vendas de produtos foi sempre o seu desejo. Em criança vendeu pães, fresquinha, bolos e mais tarde mochilas e bolsas. O recente regresso ás vendas veio depois de uma temporada na ilha da Boa Vista para onde foi trabalhar num hotel. O contrato de três meses não foi renovado e teve que regressar a Santiago e procurar outro meio de conseguir um rendimento. E assim surgiu a Butiki na Mon.

“No início todos disseram que eu tinha ficado louco. “Ah, um rapazinho tão bom…E agora ficou maluco””, ri-se. “Mas eu sei o que estou a fazer. Penso que temos que carregar aquilo que queremos connosco. Não podemos nunca deixar escapar a certeza, a determinação e força de vontade que trazemos dentro de nós. Sabemos onde estamos mas, temos que saber também onde queremos chegar. E nesse caminho irão surgir muitos obstáculos só que temos que nos manter firmes”, reflecte o jovem.

O futuro que Ruddy quer alcançar é um em que ele seja o proprietário de uma verdadeira boutique, uma loja apetrechada não só com cosméticos mas também roupas, bolsas, sapatos, entre outros itens. Até lá, vai cantando e poupando o que ganha.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Chissana Magalhães,6 set 2018 14:34

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  6 set 2018 14:34

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.