Sugestões para poupar dinheiro

PorExpresso das Ilhas,31 out 2018 14:46

É claro que existe um Dia Mundial da Poupança. Educação financeira é algo importante. Saber lidar com dinheiro - qualquer que seja a quantidade que lhe caiba ao final de casa mês - é essencial para uma vida mais tranquila. Ficam algumas dicas.

1.Tenha um cofre em casa

Não nos estamos a referir a um cofre grande, com combinação secreta e tudo o mais, e sim a um pequeno mealheiro. É uma boa opção para ir juntando aquelas moedas que se vão juntando na carteira ou nos bolsos ou que se acumulam em cima de algum móvel lá de casa. 20 escudos por dia são 600 escudos ao final do mês e 7 mil e duzentos escudos no final do ano. Ao preço actual, dá para pagar a festa de final do ano.

2.Precisa mesmo de um carro?

Especialistas em finanças dizem que comprar um carro é um dos piores investimentos que se pode fazer já que não traz retorno e desvaloriza de ano para ano. Há também o facto de ser um grande instrumento de poluição. Cabo Verde, formado por ilhas pequenas e com cidades onde tudo fica perto, é um óptimo lugar para se abrir mão de ter um carro. Isso se não se importar com o “status”, já que ter carro ainda é aqui visto como algo luxuoso e prestigioso.

3.Compre com dinheiro, gasta menos

Usar o cartão de débito ou crédito faz-nos gastar mais do que gostaríamos e precisamos. Facto. “Esqueça” o cartão em casa e saia apenas com uma pequena quantia, suficiente para as despesas estritamente necessárias do dia. Tocar no dinheiro, vê-lo a sair das nossas mãos faz-nos mais conscientes dos gastos (muitas vezes supérfluos) que fazemos.

4. Faça um orçamento mensal

Ou até mesmo semanal. Permite controlar as despesas, identificar gastos supérfluos, perceber onde podemos cortar ou poupar. Depois das quantias reservadas aos compromissos fixos (renda, água, electricidade, propinas escolares, prestação do banco, internet, telefone, TV Cabo…) e à compra do mês, reserve parte do que sobrar (*** suspiro ***) para uma conta poupança. Ainda que sejam apenas mil escudos por mês, ao final do ano vai ficar satisfeito(a) por tê-lo feito. 

5. Adira às marmitas

É dos que não tem tempo de ir à casa almoçar? Almoçar diariamente no café/restaurante ao pé do seu local de trabalho vai fazer um grande rombo no seu orçamento mensal. O almoço mais barato ficará por cerca de 350 escudos (menos do que isso só no Sucupira), ao final do mês serão cerca de 7 mil escudos. Mais uma vez, olhe aí o pagamento da festa de final de ano... Leve almoço de casa. A maioria dos serviços hoje em dia têm uma área para refeições. Leve também lanches e corte nas idas ao café.

6. Trocas

Tem filhos? Estão sempre a pedir brinquedos novos porque se cansaram daqueles que lhes comprou há um mês? E que tal sugerir aos seus amigos que têm filhos com idades próximas uma troca de brinquedos? Os adultos também podem aproveitar. Abre o armário e sente que não tem nada para vestir mesmo este estando cheio? Já não acha tanta piada àquele cadeirão da sala? Promova com os seus amigos um bazar para trocas ou mesmo uma venda de garagem.

7.Precisa mesmo de comprar isso?

Será mesmo que precisa de mais um par de sapatos? Essa gravata é mesmo necessária? Há quanto tempo não usa aqueles brincos/aquela bolsa/aqueles óculos de sol que jurava que estava mesmo a precisar? Comprar é na maior parte das vezes um impulso, um vício que dá prazer momentâneo e alimenta a vaidade. Se cada vez que resistir ao impulso pegar no dinheiro e o meter na sua conta poupança talvez aquela viagem com que sonha ou aquela formação que almeja fiquem menos distantes.

9. Evite Contrair um Empréstimo

O momento em que o seu pedido de crédito junto ao banco é aprovado é de euforia. Consegue a quantia de que precisa para satisfazer a uma necessidade. Depois, chegam as prestações mensais acompanhadas dos execráveis juros. Vai doer no seu orçamento mensal. Muito. Portanto pondere bastante se realmente precisa do empréstimo ou se não será melhor poupar. Se este conselho chega tarde e já tem um “empréstimo vampiro” (do tipo que lhe suga) pode sempre negociar com o seu banco uma redução das taxas de juros.

10. Não espreite o relvado do vizinho

Conhece a história, certo? O relvado do vizinho sempre parece mais verde. Queremos algo igual ou melhor para nós.  O capitalismo e o seu apelo ao consumo levou-nos a acreditar que é ao ter posse de coisas caras ou iguais àqueles que consideramos "pessoas importantes" é que seremos felizes. Se evitar esse pensamento, vai conseguir poupar mais. Não queira ter coisas só porque os outros têm. Viva com desapego e seja feliz com um estilo de vida minimalista. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,31 out 2018 14:46

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  31 out 2018 14:46

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.