Grávidas recorrem ao uso de óculos de realidade virtual para diminuir dor do parto

PorExpresso das Ilhas,3 jan 2020 10:14

1

As grávidas do Hospital Universitário do País de Gales, localizado na cidade de Cardiff, utilizam óculos de Realidade Virtual para ajudar no relaxamento durante trabalho de parto, sobretudo as que já tiveram experiências traumáticas durante a gravidez.

Após uma série de investigações realizadas pelo Hospital Universitário do País de Gales, surgiu esta abordagem original da Realidade Virtual para as gestantes.

A tecnologia da realidade virtual induz efeitos visuais e sonoros, que permitem total imersão no ambiente simulado. Dessa maneira, as parturientes são capazes de interagir ou não com o que vem ao seu redor, dependendo das possibilidades do sistema utilizado.

Segundo a chefe de obstetrícia do conselho de saúde de Cardiff, Suzanne Hardacre, espera-se que a tecnologia seja uma alternativa para o controlo da dor. Hardacre disse ainda à BBC, que “existe uma grande oportunidade, particularmente, de usar isso com mulheres em trabalho de parto precoce, para tentar ajudá-las a respirar, relaxar e tirá-las do momento”.

Os óculos são entregues às mulheres em estágios iniciais do parto que é, de acordo com a profissional, quando possuem mais controlo da situação. Para coisas como parto prematuro no momento, podemos oferecer água, respiração e relaxamento”, acrescentou Hardacre.

Após a arena de jogos, a realidade virtual expandiu-se e, agora, chega à área das terapias. Afinal de contas, “uma estadia num hospital nunca é agradável. Portanto, mesmo se olhar para ela do ponto de vista terapêutico, basta afastar as pessoas do ambiente desconfortável em que se encontram — é uma solução muito fácil de ter”, explicou a obstetra Hardacre.

A experiência virtual

Antes do nascimento do seu primeiro bebé, Hannah Lelii testou o kit e contou que funciona como “um simulador”. Como “são 360 grau, quando me viro, tenho a visão que estaria atrás de mim ou ao meu lado”, disse Lelii, citada pelo ZAP. Prosseguindo, acrescentou que a tecnologia a “ajudou a relaxar”. Após os testes, Lelii declarou-se uma “grande fã” da novidade e explicou que a escolha “pode não ser para todas [as grávidas] e pode não ser para todas as etapas do trabalho de parto, mas é outra alternativa” para distrair as dores.

Aumentando a gama de alternativas para o relaxamento, “a realidade virtual apenas traz outra dimensão para isso”, conclui. Por ora, a expectativa é que a tecnologia seja útil, principalmente, para mulheres que já tiveram partos traumáticos. Entretanto, nada impede que a experiência se estenda para outros tipos de terapia, na tentativa de acalmar e reduzir a ansiedade dos pacientes nos hospitais.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,3 jan 2020 10:14

Editado porSara Almeida  em  10 jan 2020 0:11

1

pub.
pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.