Confrontos entre forças israelitas e palestinianos diante de uma prisão

PorExpresso das Ilhas,20 abr 2017 14:41

Forças israelitas enfrentaram hoje palestinianos que se manifestavam, diante da prisão de Ofer, na Cisjordânia ocupada, em apoio aos detidos em prisões israelitas em greve de fome desde segunda-feira.

 

Cerca de 1.500 dos 6.500 palestinianos presos deixaram de se alimentar desde segunda-feira em protesto contra as condições de detenção e para denunciar discriminações, num movimento de protesto colectivo inédito há anos.

Algumas dezenas de palestinianos que lhes foram manifestar apoio junto à prisão de Ofer foram dispersados por soldados israelitas com granadas de gás lacrimogéneo e de atordoamento, bem como com balas de borracha, segundo um jornalista da agência France-Presse.

Para aumentar a tensão, no local estava também dezena e meia de activistas do partido israelita de direita União Nacional, que participavam num churrasco para fazer abalar a vontade dos grevistas.

Não foram atrapalhados pelas forças israelitas, tendo alguns soldados aproveitado para se lhes juntar e comer carne grelhada.

Vários ministros israelitas apelaram à recusa de qualquer negociação com os presos, que exigem, entre outros, direitos de visita alargados, acesso ao telefone ou visitas médicas regulares.

As visitas de advogados e familiares foram interrompidas desde segunda-feira em retaliação, questão denunciada à justiça israelita pela organização não-governamental palestiniana que se ocupa do assunto dos presos, o Clube dos Prisioneiros Palestinianos.

O seu director, Qaddoura Farès, disse hoje à AFP que a proibição de visitas aos grevistas foi levantada pela justiça israelita e que os advogados vão voltar a realizá-las.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,20 abr 2017 14:41

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.