Luta entre facções na origem dos protestos no Irão

PorLourdes Fortes, Rádio Morabeza,9 jan 2018 12:33

Os protestos no Irão poderão ter como origem uma luta interna entre facções apoiantes do presidente Iraniano, que é visto como relativamente moderado, dentro dos padrões da república islâmica e dos sectores mais conservadores, nomeadamente o guia supremo, ayatollah Ali Khamenei.

Quem o diz é o especialista em relações internacionais, José Pedro Teixeira Fernandes. Convidado da última edição do Panorama 3.0, o especialista português falava à Rádio Morabeza para analisar os recentes protestos no país, que têm gerado apreensão sobre os riscos de uma escalada de tensão nesta potência do Médio Oriente.

“Há também, no centro disto, uma outra questão que é também bastante objectiva e que é o descontentamento de uma parte da população relativamente à situação económica. Este, obviamente, é sempre o motor, em qualquer país”, aponta.

Questionado sobre uma possível ingerência externa, americana, saudita ou israelita, José Pedro Teixeira Fernandes afirma que não há sinais consistentes que apontem neste sentido.

“Elas [as manifestações] ocorrem com um padrão que nem sequer é um padrão típico de manifestações políticas de contestação ao poder instituído. Se a origem fundamental estivesse no exterior, nomeadamente nesses países que têm más relações com o Irão, o alvo seria o governo iraniano e o próprio regime”, sublinha.

Em resposta aos protestos, o governo iraniano avisou os manifestantes de que serão eles a pagar o preço. Rohani, apesar de reconhecer o direito à manifestação, lembrou que não vai ter qualquer tolerância para com quem danifique propriedade pública, viole a ordem pública e provoque alarme social.

José Pedro Teixeira Fernandes analisa a reacção em duas vertentes.

“Num primeiro momento, a resposta do presidente Rohani tentou ser relativamente moderada, se comparamos com o que ocorreu em 2009, embora na altura a situação tivesse outros contornos. Agora, o governo iraniano acaba por responder também como respondem os regimes de características autoritárias que é usando, de alguma forma, a força”, indica.

Irão é palco, desde 28 de Dezembro, de várias manifestações contra a má situação económica do país e o regime dos 'ayatollahs'.

Os protestos, iniciados em Machhad (nordeste) e que rapidamente se propagaram a outras cidades já levaram à morte de mais de duas dezenas de pessoas e à detenção de perto de cinco centenas.  

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lourdes Fortes, Rádio Morabeza,9 jan 2018 12:33

Editado pormaria Fortes  em  9 jan 2018 15:51

pub.
pub.
pub.

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.