Marrocos que Saara Ocidental fora da União Africana

PorLusa,9 fev 2018 11:40

El Aiún, capital do Saara Ocidental
El Aiún, capital do Saara Ocidental

A diplomacia marroquina, que recentemente reforçou a sua representação em Adis Abeba, sede da União Africana (UA), vai apresentar uma moção destinada a excluir a República Árabe Sarauí Democrática (RASD) da organização pan-africana, noticia hoje a imprensa.

Segundo a revista Jeune Afrique, nos "corredores" da sede da UA, os diplomatas marroquinos em Adis Abeba não têm escondido a intenção, garantindo que o projecto será apresentado em breve.

A revista de actualidade virada para o continente africano refere que à decisão de Marrocos não é alheia a eleição do país para o Conselho de Paz e Segurança da organização, a 26 de Janeiro último.

Na ocasião, 39 países - mais de dois terços dos membros (55) - votaram a favor de Marrocos, sem qualquer voto contra, mas com 16 abstenções, pelo que, nos "corredores", a ideia agora é convencer os indecisos.

Fontes citadas pela revista semanal indicaram que, apesar de o voto neste tipo de decisões ser electrónico, logo, secreto, os marroquinos têm "uma ideia de quem são os indecisos", pelo que estão a intensificar a pressão, através dos lóbis, para os convencer favoravelmente.

Paralelamente, as autoridades de Rabat destacaram para Adis Abeba a maior e mais importante representação diplomática em África.

Nesse sentido, adquiriram um prédio, de sete pisos, em fase final de construção, próximo do aeroporto de Bole (Adis Abeba), onde irão instalar a embaixada de Marrocos na Etiópia, liderada por uma mulher, a embaixadora Nehza Alaoui M´Hamdi, e os escritórios do representante permanente junto da UA, Mohamed Arrouchi.

A missão diplomática marroquina contará também com representantes de vários ministérios -- Justiça, Agricultura, Economia e Ambiente -, albergando ainda uma célula dos serviços secretos do país.

Marrocos regressou à União Africana em Janeiro de 2017, 33 anos depois de abandonar, em 1984, a então Organização da Unidade Africana (OUA), após esta ter reconhecido a RASD (Saara Ocidental) como país e a Frente Polisário (FP) como seu representante legítimo.

O processo de paz sarauí está num impasse há já vários anos devido a posições divergentes entre as duas partes.

A RASD, representada pela Frente Polisário, reclama a realização de um referendo de autodeterminação, pretensão recusada pelas autoridades de Marrocos, que propõem uma maior autonomia do território, mas sempre sob soberania marroquina.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Lusa,9 fev 2018 11:40

Editado porAndre Amaral  em  9 fev 2018 12:04

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.