​Países de língua portuguesa devem coordenar respostas na saúde pública

PorExpresso das Ilhas, Lusa,20 abr 2018 10:18

O ministro da Saúde de Portugal, Adalberto Campos Fernandes propôs à CPLP a identificação dos recursos especializados na gestão de crises de saúde pública, para promover a coordenação de respostas conjuntas solidárias a situações de emergência.

A proposta foi apresentada aos titulares das pastas da saúde de Angola, de Cabo Verde e de São Tomé Príncipe e representantes dos ministros da saúde dos restantes países da Comunidade de Países de Língua Portuguesa (CPLP), que se reuniram informalmente, hoje, em Coimbra, no âmbito do encontro regional da Cimeira Mundial de Saúde.

“Pretende-se identificar recursos especializados na gestão de crises de saúde pública, através da partilha de recursos e conhecimentos entre os países da CPLP”, afirma uma nota distribuída, pelo Ministério da Saúde de Portugal, após a “reunião informal”.

Essa identificação de recursos, representará “um passo significativo na promoção da coordenação de respostas conjuntas solidárias a situações de emergência”, sustenta.

O ministro Adalberto Campos Fernandes “enviou para o Secretariado Executivo da CPLP a proposta de cooperação técnica”, que deverá circular agora pelos Estados-membros da Comunidade, sendo depois constituído um grupo de trabalho.

Portugal defende, entretanto, que a reestruturação da rede e-PORTUGUESe garanta “um plano de acções estratégicas e um modelo claro e sustentável de governação e financiamento, expandindo a plataforma”.

A rede e-PORTUGUESe é um programa da Organização Mundial da Saúde (OMS) para fortalecer a colaboração entre os países de língua portuguesa nas áreas da informação e capacitação de recursos humanos em saúde.

A expansão da rede permitirá “aproximar um conjunto de atores da área da saúde, fortalecer as interacções e sinergias com o sistema de ensino superior e introduzir a cooperação do sistema científico e tecnológico, para assegurar a promoção da saúde e conquista de ganhos efectivos em saúde”, sustenta o ministro português.

Organizado pelo consórcio Universidade de Coimbra (UC)/Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), que integra a Aliança-M8 [G-8 da saúde], o encontro decorre hoje e sexta-feira, no Convento São Francisco, em Coimbra.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,20 abr 2018 10:18

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  20 abr 2018 14:57

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.