Angola vendeu 210 mil milhões de dólares em petróleo desde 2013

PorExpresso das Ilhas, Lusa,4 jun 2018 8:03

Angola vendou 210,1 mil milhões de dólares em barris de petróleo nos últimos cinco anos, negócio cada vez mais concentrado com a China, que gastou mais de metade do valor total.

Segundo um documento do Governo angolano, com dados do Ministério dos Recursos Minerais e Petróleo, deste mês e ao qual a Lusa teve acesso, só a China comprou a Angola, entre 2013 e 2017, um total de 106,6 mil milhões de dólares em barris de petróleo. 

Num único ano, em 2013, as vendas de petróleo angolano à China elevaram-se a um máximo de 31,7 mil milhões de dólares, tendo descido para um mínimo de 13,9 mil milhões de dólares em 2016, devido à quebra na cotação do barril de crude no mercado internacional. 

Na segunda posição, mas uma grande distância da China, surge a Índia, que entre 2013 e 2017 comprou a Angola mais 18,7 mil milhões de dólares  em petróleo. 

Já as vendas, em valor, aos Estados Unidos, estão em forte queda, passando dos 4.900 milhões de dólares em 2013 para 900 milhões de dólares em 2017. Tal como a França, que passaram de 1.300 milhões de dólares  para 300 milhões de dólares, no mesmo período, enquanto para Espanha a quebra foi de 2.400 milhões de dólares para 900 milhões de dólares. 

Globalmente, as petrolíferas presentes em Angola investiram no sector, no país, entre 2013 e 2017, um total de 69.200 milhões de dólares, segundo o governo angolano. 

Em 2017, ano em que Angola exportou 595.604.870 barris de crude, cerca de 70 milhões de barris abaixo do estimado no Orçamento Geral do Estado (OGE), as petrolíferas investiram apenas 5.900 milhões de dólares. Em 2016 esse investimento foi de 10.800 milhões de dólares e em 2015 chegou aos 16.200 milhões de dólares. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,4 jun 2018 8:03

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  5 jun 2018 6:56

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.