Viktor Orban disse que não existe nenhum acordo com o governo alemão

PorExpresso das Ilhas, Lusa,1 jul 2018 9:44

O primeiro-ministro nacionalista húngaro assegurou no sábado que não existe nenhum acordo com o governo alemão sobre o acolhimento de refugiados que vão ser expulsos da Alemanha.

Através de um texto de oito páginas, a chanceler alemã Angela Merkel notificou no sábado que os parceiros da grande coligação, a União Social Cristã bávara (CSU) e o Partido social-democrata (SPD) que no decurso da cimeira europeia de quinta-feira e sexta-feira garantiu o compromisso de 14 parceiros comunitários para acelerar o repatriamento de migrantes da Alemanha para esses países.

Esta medida está incluída no Acordo de Dublin, onde se prevê que o processo de pedido de asilo de um refugiado é da responsabilidade do país da União Europeia (UE) ao qual acedeu inicialmente, através do espaço Schengen.

A mesma medida pretende evitar que muitos refugiados e migrantes se dirijam para o norte da Europa pelo facto de o seu primeiro requerimento de asilo não ter sido aceite, ou por procurarem melhores condições, como sucede com a Alemanha.

Os 14 países mencionados no documento de Merkel são a Hungria, Polónia, República Checa, Bélgica, Dinamarca, Estónia, França, Finlândia, Lituânia, Letónia, Luxemburgo, Holanda, Portugal e Suécia.

Segundo o portal informativo "napi.hu", o chefe do Governo checo, Andrej Babis, também desmentiu a informação.

Os países do grupo de Visegrad (Hungria, República checa, Polónia e Eslováquia), recusam a entrada de migrantes e opõem-se ao sistema europeu de recolocação de refugiados.

Na recente cimeira de Bruxelas os líderes europeus chegaram a acordo para a criação de "centros de acolhimento" de refugiados em território da UE, mas sem designarem qualquer local no imediato, e no reforço do controlo nas fronteiras externas da União.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,1 jul 2018 9:44

Editado porDulcina Mendes  em  21 nov 2018 3:23

pub.
pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.