Tailândia. Primeiras eleições após golpe militar ainda sem resultados finais

PorExpresso das Ilhas,26 mar 2019 12:11

A Tailândia foi a votos este Domingo (24) nas primeiras eleições após a tomada do poder pela Junta Militar em 2014. Os dois principais partidos clamam vitória e trocam acusações de fraude.

Nas primeiras notícias referentes ao pleito o partido anti-militar Pheu Thai ("Para os Tailandeses") declarava-se vencedor após a realização de pesquisa de boca de urna que lhe dava 153 das 500 cadeiras em disputa na Câmara dos Deputados, ficando à frente do partido pró-militar Phalang Pracharat, segundo colocado com 96 parlamentares eleitos.

Entretanto, outras notícias dão conta de que a Comissão Eleitoral da Tailândia voltou a atrasar nesta segunda-feira o anúncio dos resultados completos das eleições, isso após ter garantido que o partido antimilitar Pueu Thai lidera o número de cadeiras no parlamento.

Entretanto, notícia da agência Reuteurs dá conta que os resultados parciais mostram que o partido pró-exército pode conseguir manter-se no poder.

“Com 93% dos votos contados, a Comissão Eleitoral informou que o partido pró-militares Palang Pracharat, que está tentando manter o chefe da junta militar Prayuth Chan-ocha no poder, liderava com 7,59 milhões de votos”.

O Pheu Thai, que é associado ao ex-primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, exilado desde o golpe militar, aparece aqui com 7,12 milhões de votos

Segundo a agência, os números são do voto popular, mas “não reflectem os assentos no Parlamento que eventualmente serão vencidos. O Pheu Thai ainda pode ganhar a maior parte deles porque sua popularidade está concentrada no norte e no nordeste do país”.

Ambos os partidos clamam que podem, com os assentos conquistados, formar governo de coligação. A vantagem porém é do Palang Pracharat já que antes das realização das eleições os militares nomearam 250 senadores que poderão agora dificultar a ambição do Pheu Thai de criar alianças para formar governo.

O resultado final do pleito deveria ser conhecido na segunda-feira (25), conforme anunciado pela Comissão Eleitoral. Porém com a oposição a acusar os militares de fraudarem as eleições e ambos os maiores partidos a clamarem vitória, poderão agora passar-se semanas até que a Comissão anuncie os resultados definitivos e a composição do parlamento seja finalmente conhecida. 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas,26 mar 2019 12:11

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  27 mar 2019 10:23

pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.