Militares nigerianos matam pelo menos 20 jihadistas após ataque

PorExpresso das Ilhas, Lusa,19 out 2021 14:18

O exército nigeriano matou pelo menos 20 jihadistas do Estado Islâmico na África Ocidental (Iswap) após a tentativa de um ataque terrorista no estado de Borno (a nordeste), afirmou hoje uma fonte militar à agência Efe.

Segundo a fonte, que pediu anonimato, os atacantes chegaram na segunda-feira, durante a noite, à cidade de Jere, no estado de Borno, em vários camiões e armados.

"Chegaram ao Chabbai, na área do governo local de Jere, em vários camiões armados e dispararam esporadicamente antes de os nossos homens os atacarem", disse a fonte militar à Efe, acrescentando que "os combates duraram várias horas e pelo menos 20 terroristas foram mortos, enquanto os restantes fugiram".

O exército nigeriano, que já estabilizou a região e procura os 'jihadistas' que conseguiram fugir, recuperou equipamento e armamento após a batalha e destruiu alguns camiões dos extremistas.

O Iswap surgiu em 2016 após divergências internas dentro do grupo extremista Boko Haram.

Ambas as organizações têm vindo a aterrorizar o nordeste da Nigéria durante anos, com o objetivo de impor um Estado islâmico no país.

A separação deu-se por divergências com o comandante Abubakar Shekau, que morreu no início deste ano em lutas internas entre as duas facções.

A Nigéria é maioritariamente muçulmana no norte e predominantemente cristã no sul.

Segundo as Nações Unidas, mais de 35.000 pessoas foram mortas e cerca de dois milhões foram deslocadas na Nigéria pela campanha sangrenta do Boko Haram, que começou em 2009.

A violência do grupo também se propagou ao Níger, Chade e Camarões.

O Boko Haram foi fundado em 2002, no Estado de Borno, e numa fase inicial realizava ataques contra a polícia para denunciar a negligência das autoridades em relação ao norte.

Em 2009, porém, radicalizou-se depois de agentes terem matado o seu líder espiritual Mohammed Yusuf.

O Iswap tornou-se o grupo extremista dominante no nordeste da Nigéria, e realizou ataques em grande escala contra o Exército nigeriano.

Em 14 de Outubro, o Chefe de Estado-Maior das Forças Armadas nigerianas, o general Lucky Irabor, afirmou que o líder do Iswap, Abu Mousad al-Barnaoui, estava morto, sem dar pormenores sobre quando, onde e como morreu o líder 'jihadista', sobre o qual pouco se sabe, incluindo a sua idade e aparência física.

No entanto, o Iswap ainda não confirmou a morte do seu líder.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,19 out 2021 14:18

Editado porAndre Amaral  em  23 jul 2022 23:28

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.