Milhões continuam em situação de "fome emergente" no Corno de África

PorExpresso das Ilhas, Lusa,24 mai 2023 13:46

Milhões de pessoas no Corno de África continuam numa situação de "fome emergente", que sofre uma série de crises, alertou hoje o Programa Alimentar Mundial (PAM).

A pior seca dos últimos 40 anos deu lugar a chuvas repentinas e inundações, os preços dos alimentos e da energia continuam elevados e o impacto do conflito no Sudão repercute-se em toda a região, afirmou o PAM, num comunicado divulgado em Nairobi.

"Com conflitos, situações climáticas extremas e crises económicas, a região do Corno de África enfrenta múltiplas crises em simultâneo", afirmou o director regional do PAM para a África Oriental, Michael Dunford.

"E agora, a eclosão do conflito no Sudão está a forçar centenas de milhares de pessoas a fugir das suas casas", acrescentou.

Os últimos três anos de seca deixaram mais de 23 milhões de pessoas com fome em partes da Etiópia, do Quénia e da Somália, e as taxas de mortalidade e de subnutrição continuam a ser "inaceitavelmente" elevadas, segundo o programa da Organização das Nações Unidas (ONU).

Além disso, as sucessivas más colheitas e os elevados custos de transporte fizeram com que os preços dos alimentos ficassem fora do alcance de milhões de pessoas na região.

O PAM afirmou que a região levará anos a recuperar e que a assistência humanitária é uma "tábua de salvação".

A limitação dos recursos humanitários foi ainda agravada pelo conflito no Sudão, que obrigou mais de 250.000 pessoas a fugir para países vizinhos como a Etiópia e o Sudão do Sul, onde a insegurança alimentar já é elevada.

"Sem um financiamento sustentável para soluções de emergência e de adaptação às alterações climáticas, a próxima crise climática poderá levar a região à beira da rotura", alertou Dunford.

O programa da ONU sublinhou que precisa "urgentemente" de 810 milhões de dólares (cerca de 752 milhões de euros) nos próximos seis meses para manter a assistência humanitária e investir na resiliência a longo prazo no Corno de África.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Lusa,24 mai 2023 13:46

Editado porAndre Amaral  em  30 set 2023 23:28

pub.

pub
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.