COVID-19: Mais um caso positivo em Cabo Verde

Coronavírus e os Jogos Olímpicos

PorLeonardo Cunha,14 fev 2020 16:09

1

O Coronavirus (agora batizado como COVID-19), começou em 1 de dezembro de 2019 na cidade de Wuhan, no centro da China, com um grupo emergente de pessoas com pneumonia de causa desconhecida. Neste momento verificam-se 65,213 caso de infeção com 1486 mortos em 28 territórios afetados.

As autoridades desportivas mundiais estão preocupadas com o surto de coronavírus. A decisão de suspender ou não a celebração de eventos para evitar grandes multidões e minimizar o risco de contágio está em cima da mesa. Muitas das competições internacionais planeadas na China já foram suspensas, como o Campeonato Mundial de Atletismo de Nanquim.

O Comité Olímpico Internacional ainda não teve uma tomada de posição oficial em relação a esta epidemia, contudo os organizadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio, de 24 de julho a 9 de agosto, assistem ao avanço do surto com redobrada atenção.

Várias competições de classificação já saíram da China e isso naturalmente está a influenciar os planos das federações internacionais para a qualificação nas suas próprias modalidades.

Em declarações realizadas à imprensa, Toshiro Muto, chefe do comitê organizador de Tóquio 2020, disse que “Estou muito preocupado com a propagação do coronavírus. Isso pode diminuir a atmosfera e a dinâmica da organização dos Jogos. Espero que isso seja resolvido o mais rápido possível ". Alem da sua preocupação já veio a publico classificar de infundadas as declarações que está em cima da mesa a suspensão com adiamento ou cancelamento desta edição dos jogos.

Por outro lado, a agência antidoping chinesa, Chinada, comunicou ao Comité Olímpico Internacional que suspendeu os controlos antidoping dos seus atletas. Isto deve-se ao estado de emergência sanitária decretado no país pela Organização Mundial da Saúde.

Até agora, a organização dos Jogos Olímpicos de Tokyo 2020 tinha feito apenas declarações genéricas sobre a sua disposição de tomar qualquer ação necessária diante da incidência de doenças infeciosas, sem se referir especificamente ao coronavírus. O responsável pelo Ministério da Saúde do Japão, a organização dos Jogos Olímpicos e outras autoridades competentes devem reunir-se ainda esta semana para investigar a situação e discutir possíveis medidas de prevenção para o evento desportivo.
O coronavírus pode causar pneumonia com sintomas como febre alta, tosse seca, dor de cabeça e falta de ar. O período médio de incubação é de três a sete dias, com um máximo de 14. A OMS declarou uma emergência internacional devido ao surto.

Mesmo que os grandes eventos desportivos internacionais estejam sempre para segundo plano quando falamos de uma epidemia com um elevado número de casualidades, esperemos que a epidemia seja rapidamente controlada e possa de facto não influenciar a realização dos jogos.

A confiança no trabalho nos profissionais que trabalham no Comité Olímpico Internacional e no Comité Organizador dos Jogos de Toquio2020 tem de ser redobrada numa situação delicada e não se pode gerar qualquer tipo de rumores que podem até afetar a boa organização dos Jogos.

Em breve teremos mais novidades sobre este assunto com dois dias de reuniões com membros do Comité Olímpico Internacional (COI) que efetuam uma visita técnica a Tóquio, entre eles Richard Budgett, director médico e científico do COI.

*o autor escreve de acordo com as regras do AO90

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Leonardo Cunha,14 fev 2020 16:09

Editado porSara Almeida  em  15 fev 2020 10:32

1

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.