Na celebração do Dia Nacional da China e do Festival do Meio do Outono, a Amizade China-Cabo Verde enfrenta novas oportunidades de desenvolvimento

PorDU XIAOCONG, EMBAIXADOR DA CHINA,28 set 2020 15:38

No dia 1º de Outubro de 2020 assinala-se o 71º aniversário da implantação da República Popular da China, que também coincide com o Festival do Meio do Outono, um feriado tradicional chinês. A lua brilhante está subindo acima do mar.

Embora distantes, as pessoas podem compartilhar a beleza da lua na mesma noite. Enquanto diplomatas chineses em Cabo Verde, olhamos o mar pela janela e apreciamos a Lua Cheia, sentimos imensas saudades. Ao brindar para desejar prosperidade ao país e bem-estar aos familiares, o apego à pátria não pode deixar de vir à tona.

É hora de olhar para o passado. Há 71 anos atrás, no dia 1º de Outubro de 1949, o grande presidente do povo chinês Mao Zedong, declarou solenemente a fundação da República Popular da China, na Praça Tiananmen, em Beijing. Daí a China iniciou a jornada magnífica com a finalidade de alcançar a prosperidade nacional, o rejuvenescimento nacional e a felicidade do povo. Ao longo dos últimos 71 anos, o Partido Comunista Chinês uniu e liderou o povo chinês, dependendo de si próprio e não medindo seus esforços, conseguiu construir do zero um mundo novo. Realizamos o grande salto da nação chinesa a partir de se levantar, se enriquecer até se fortalecer, e concluímos o processo da industrialização nacional. A China já se tornou a segunda maior economia global, o maior manufatureiro e o maior em termos de comércio de mercadorias do mundo, que tem contribuído com mais de 30% para o crescimento económico mundial por vários anos consecutivos. O crescimento económico rápido e a estabilidade social de longo prazo são dois milagres criados pela China na sua trajectória de desenvolvimento. Ao mesmo tempo que a China alcança o autodesenvolvimento, tem dado contribuições para a paz mundial e acrescentado vitalidade ao desenvolvimento comum de todos os países. Até meados deste século, vamos cumprir o nosso objectivo de construir a China como um poderoso país socialista modernizado, próspero, democrático, civilizado, harmonioso e bonito.

2020 é um ano extremamente singular para a China e o resto do mundo. A pandemia da Covid-19 constitui a pior doença infecciosa surgida no mundo do último século, e também é a maior emergência de saúde pública registrada na história da República Popular da China após a sua fundação, com a velocidade de transmissão mais rápida, a mais ampla gama de infecções e a prevenção e controlo mais difíceis. Diante do advento repentino do vírus e o aumento rápido de casos, o governo chinês liderou o povo chinês e lançou sem hesitação uma guerra popular contra a pandemia. A China conseguiu conter basicamente a situação nacional dentro de pouco mais de um mês, e por cerca de três meses alcançou grandes conquistas estratégicas na luta nacional contra a Covid-19. A China passou a ser a primeira das economias principais que retomou o crescimento depois da pandemia e agora está a liderar o mundo tanto na prevenção e controlo da pandemia provocada pelo vírus COVID-19, como na recuperação económica, evidenciando forte capacidade de reparo e enorme vigor e vitalidade da China!

O ano de 2020 é importante para a diplomacia chinesa na implementação do conceito da “Comunidade de Futuro Compartilhado para a Humanidade”. Face à pandemia súbita e severa, a China trabalhou lado a lado com outros países do mundo para superar as dificuldades juntos, contribuindo com sabedoria e força para o combate global à pandemia. Tomando uma atitude de abertura, transparência e responsabilidade, cumprimos activamente nossas obrigações internacionais. Divulgamos planos de diagnóstico e tratamento e planos de prevenção e controlo da infecção, realizamos actividades de troca de informações, disponibilizamos centros de conhecimento online, compartilhamos experiências com todas as partes e fizemos o nosso máximo para fornecer assistência à comunidade internacional. Enviamos equipas de especialistas médicos a 32 países, oferecemos 283 lotes de suprimentos médicos a 150 países e 4 organizações internacionais, fornecemos e exportamos materiais antiepidémicos para 200 países e regiões, apoiando de forma significativa a resposta global à epidemia da Covid-19. Defendemos a construção conjunta de uma Comunidade de Saúde Comum para a Humanidade e apresentamos uma série de propostas em termos de ajuda internacional, uso de vacinas, etc. As ações práticas acima referidas demonstraram o desejo sincero da China de promover a construção da Comunidade de Futuro Compartilhado para a Humanidade!

Em 2020, a China e a África lutam de mãos dadas contra o novo coronavírus e dão seguimento à construção da Comunidade China-África de Futuro Compartilhado. O governo chinês despachou mais de 400 toneladas de materiais de emergência para 53 países africanos e União Africana, no montante total aproximadamente de 300 milhões de yuans (equivalente a 4,2 milhões de contos) e também oferecemos facilidade aos países do continente na aquisição dos equipamentos e materiais antiepidémicos na China. Foram enviados para 13 países africanos equipas de médicos especialistas chineses. A construção pela China da sede do Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças da África arrancará antes do final do ano. Mesmo em meio à pandemia, mais de 1.100 projetos da cooperação China-África continuam em andamento e o investimento da China para África cresceu contra a tendência em relação ao ano passado, mostrando a enorme resiliência e dinâmica da cooperação China-África. A China tem-se apressado a levar adiante as medidas de redução e suspensão da dívida anunciadas pelo Presidente Xi Jinping na Cimeira Extraordinária China-África sobre Solidariedade contra a COVID-19, no sentido de cancelar a dívida de países africanos relevantes sob a forma de empréstimos governamentais sem juros que vençam até final de 2020. A cooperação China-África para a vacina contra o novo coronavírus também está avançando.

Além do mais, o ano de 2020 marca o 44º aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas entre a China e Cabo Verde. A nossa amizade nasceu quando o povo cabo-verdiano lutou pela independência nacional. O ex-Presidente de Cabo Verde, Pedro Pires, na sua visita à China em 2018, contou aos jornalistas essa história impressionante! Em 1975, o ano seguinte à sua independência, a China estabeleceu relações diplomáticas com Cabo Verde. E logo depois, o governo cabo-verdiano enviou a sua primeira delegação oficial à China. O Presidente da República e o então Secretário-Geral do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Cabo Verde, Jorge Carlos Fonseca, como elemento da comitiva, visitou a China e testemunhou as negociações sobre a construção do Palácio da Assembleia Nacional de Cabo Verde, o primeiro projecto cabo-verdiano de ajuda e cooperação com o governo chinês. Até aos dias de hoje, o Palácio fica do outro lado da nossa Embaixada. As bandeiras nacionais dos dois países flutuam ao vento, adicionando brilho e beleza um ao outro. É um retrato vivo da nossa amizade! A 5 de Julho do ano corrente, o Presidente Xi Jinping endereçou uma mensagem de felicitações ao seu homólogo cabo-verdiano e disse, “Nos últimos anos, as relações sino-cabo-verdianas vêm apresentando avanços e a cooperação produz resultados frutíferos. Estou disposto a trabalhar juntamente com Vossa Excelência, com o fim de promover as relações de amizade e cooperação dos nossos dois países para uma nova etapa e beneficiar os nossos dois países e os povos.” E em resposta, o Presidente Jorge Carlos Fonseca enviou-lhe uma missiva de felicitações a 24 de Setembro e disse “A amizade, respeito e confiança mútuos sempre nortearam a forte relação existente entre os nossos países. Gostaria de lhe manifestar o meu sincero agradecimento pelo apoio concedido a Cabo Verde no combate à Covid-19 e reiterar a minha firme determinação e vontade em continuar a trabalhar em prol do aprofundamento das nossas relações a todos os níveis”. Além do mais, mantemos uma boa cooperação nos assuntos internacionais. Este ano, Cabo Verde tem favorecido repetidamente as posições e propostas da China nas questões relacionadas com Taiwan, Hong Kong e eleições nas organizações internacionais importantes. Aproveitamos para expressar os nossos sinceros agradecimentos.

Em 2020, a cooperação China-Cabo Verde no combate à pandemia fortalece ainda mais a tradicional amizade entre os dois países. O Expresso das Ilhas publicou meus três artigos na íntegra a 18 de Junho, 23 de Julho e 28 de Agosto, intitulados "Lutar em conjunto contra a pandemia de covid-19 para aprofundar a amizade tradicional entre China e Cabo Verde", "A amizade China-Cabo Verde fortalece-se com o passar do tempo e ajudamos um ao outro a superar as dificuldades actuais", "China e Cabo Verde lutam contra a epidemia de mãos dadas para construir uma comunidade China-África de futuro compartilhado", respectivamente. Narrei nos artigos várias experiências pessoais de que os povos chinês e cabo-verdiano têm trabalhado juntamente para enfrentar a pandemia desde o início do ano. Essas histórias comoventes são retratos vívidos da nossa profunda amizade, pelo que estou convicto de que o povo cabo-verdiano, que é muito simpático e sincero, é sempre defensor da amizade China-Cabo Verde! Segundo o “Relatório da Percepção da PopulaçãoAfricana sobre a China” divulgado a 3 de Setembro de 2020 pelo Afrobarometer, um think tank africano reconhecido, mais de 80% dos cabo-verdianos vêm a influência da China em África como positiva. A justiça habita naturalmente no coração dos homens. Ninguém pode negar os esforços incessantes da China para a promoção dos laços fraternos entre a China e Cabo Verde, que se ajudam sempre, nos momentos quer bons, quer maus.

Ao longo destes últimos 5 anos, testemunhei em primeira mão os significativos esforços empenhados pelos cabo-verdianos, que são simpáticos, gentis, abertos e pragmáticos, na exploração do caminho de desenvolvimento adequado às suas próprias condições nacionais sob a liderança do governo cabo-verdiano. Conseguiram manter a estabilidade política e social de longo prazo, dar passos no caminho do desenvolvimento económico. Estão a ultrapassar as dificuldades provocadas pelo ambiente internacional desfavorável e alcançar progressos na construção da nação cabo-verdiana. Actualmente, o governo cabo-verdiano está a formular planos para a retomada da prosperidade no pós-pandemia e o desenvolvimento de longo prazo do País, e de forma paralela, fazer o máximo para travar a propagação da pandemia de Covid-19.Tanto a construção da Zona Económica Especial Marítima em São Vicente como a Agenda 2030 do Estado, são esperanças para o futuro de Cabo Verde. Acreditamos firmemente que a República de Cabo Verde terá um futuro brilhante na caminhada de democracia, prosperidade, desenvolvimento e paz!

Augurando as prosperidades da República Popular da China e da República de Cabo Verde e felicidades dos seus povos, faço votos pelo maior desenvolvimento da amizade e cooperação China-Cabo Verde.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:DU XIAOCONG, EMBAIXADOR DA CHINA,28 set 2020 15:38

Editado porSara Almeida  em  28 set 2020 15:38

pub.
pub.
pub.

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.