Governo anuncia investimentos para «responder demanda e exigências» na área da saúde

PorFretson Rocha,29 nov 2017 10:49

Em 2018, Cabo Verde passa a ter um serviço de saúde mais bem preparado para responder a demanda e a exigência da população. A garantia foi dada esta terça-feira pelo Ministro da Saúde e Segurança Social, durante a sua intervenção, no parlamento, no quadro do debate do Orçamento de Estado para 2018.

Arlindo do Rosário explica que a meta vai ser atingida através de um conjunto de medidas para o reforço da competência do Serviço Nacional de Saúde em diversas áreas, conforme previsto no Orçamento do Estado para o próximo ano.

“Com a rede de infra-estruturas de saúde a ser reforçada, com os recursos humanos a beneficiarem de formações especializadas no país e no exterior, com as carreiras médicas e de enfermagem a serem implementadas, o alargamento do sistema de informação sanitária para as outras ilhas, com a ligação de todo o território nacional com rede de telemedicina, teremos um serviço de saúde mais bem preparado para responder a demanda cada vez mais exigente da população”, acredita.

O orçamento global do Estado para o sector da saúde, em 2018, é de 5,1 milhões de contos. Para o primeiro trimestre do próximo ano, Arlindo do Rosário anuncia várias obras em diferentes estruturas de saúde, num montante que ultrapassa um milhão de contos, “com financiamento garantido através dos fundos Kuwait e do turismo”.

O governante refere-se ao início das obras da delegacia e centro de saúde de Assomada, em Santa Catarina, do centro de saúde de São Lourenço dos Órgãos, do edifício/sede do Serviço Nacional de Saúde Pública, do centro de saúde de Santa Maria na ilha do Sal, do posto sanitário de Cancelo em Santa Cruz e do bloco ambulatorial do Hospital Baptista de Sousa em São Vicente. Está também prevista a reabilitação da extensão da Trindade, do Centro de Tratamento Ocupacional de Ribeira de Vinha, do posto sanitário de Furna, na ilha Brava e a criação de um bloco operatório no centro de saúde da Boavista.

Ainda em 2018, com o financiamento do fundo do turismo, Arlindo do Rosário assegura a implementação da primeira fase do programa de emergência pré-hospitalar, orçada em 65 mil contos.

“Serão ainda adquiridas câmaras isobáricas, ambulância todo-o-terreno para o Tarrafal de Monte Trigo, viaturas para o combate a vectores, ambulâncias com suporte avançado de vida e outras viaturas ligeiras num montante global de 68 mil contos”, anuncia.

“Todo o parque de equipamento médico-hospitalar será renovado. Em 2018 todos os serviços de saúde e hospitais regionais do país receberão novos equipamentos de laboratórios e imagiologia e também de fisioterapia e saúde oral, num montante estimado em um milhão de contos”, assegura.

A nível da capacitação dos recursos humanos, o Governo garante o desenvolvimento de cursos especializados no país. A aposta para o próximo ano abarca um curso de especialização médica em medicina familiar, enfermagem nas áreas de saúde comunitária e obstetrícia e mestrados em saúde pública e entomologia médica. Também está previsto o recrutamento de mais profissionais de saúde.

Esses investimentos, segundo o ministro da Saúde, visam aumentar a resiliência do Serviço Nacional de Saúde, a capacidade de resposta a nível local, regional e nacional, diminuir as evacuações internas e externas, reduzir as listas de espera, aumentar a segurança sanitária do país e transformar o Serviço Nacional de Saúde num pilar essencial de desenvolvimento económico.

 

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Fretson Rocha,29 nov 2017 10:49

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  29 nov 2017 9:46

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.