Continuam a diminuir os cabo-verdianos que nunca foram à escola

PorExpresso das Ilhas, Inforpress,28 dez 2017 11:28

A percentagem da população que nunca frequentou a escola diminuiu em 2,1 pontos percentuais, entre 2012 e 2016, em Cabo Verde, revela o Instituto Nacional de Estatística (INE).

A nova edição do Anuário Estatístico de Cabo Verde (AECV), publicado pelo INE, informa igualmente que em 2016, apenas 7,2% da população afirmou nunca ter frequentado a escola.

Em relação ao pré-escolar, nota-se uma ligeira diminuição, tendo em consideração que 3,3% da população estava a frequentar este nível de ensino, quando comparado com os 3,4% registados em 2015.

Quanto à percentagem da população que está a frequentar o ensino básico, ao contrário do que se verificou em 2015, os dados de 2016 apontam um aumento em 1,3 pontos percentuais, enquanto os ensinos secundário e superior tiveram aumentos de 5,1 e 0,1 pontos percentuais, respectivamente.

Os dados divulgados pelo INE indicam também que persistem diferenças em termos de género e meio de residência da população.

Comparando os dados por sexo, constatou-se que, no que tange à proporção da população que nunca frequentou um estabelecimento de ensino, as mulheres estão em desvantagem em relação aos homens. A taxa de mulheres (10,4%) nestas condições é quase o triplo, em relação à dos homens (3,9%).

Segundo o INE, o mesmo acontece em relação à população do meio rural, onde a taxa de 11,3% é nitidamente superior à taxa de 5,1% registada no meio urbano.

Estas diferenças não são tão evidentes em relação à percentagem da população matriculada nos ensinos básico e secundário, diz o INE.

O INE confirma ainda que a população do meio rural apresenta maiores taxas em relação à população que frequenta o pré-escolar e o ensino básico.

Esta situação é invertida no meio urbano para os ensinos secundário e médio, revelam os dados publicados no Anuário Estatístico de Cabo Verde (AECV/2016).

Relativamente ao ensino superior, a maior taxa foi registada no meio rural.

Em 2015 o concelho que apresentava maior percentagem da população que nunca frequentou um estabelecimento de ensino era Ribeira Grande (14,6%), em 2016 passou a ser o concelho de São Miguel a registar a maior taxa (14,4%), seguido pelo concelho de Tarrafal (13,5%).

A taxa de alfabetização, percentagem de alfabetização da população maior de 15 anos, o INE indica que, em 2016 (87,6%), houve um aumento de 2,3 pontos percentuais, em comparação com o ano de 2012 (85,3%).

Analisando por sexo, constatou-se que esta taxa é maior nos homens (92,5%) do que nas mulheres (82,8%), o que evidencia uma desigualdade de acesso à educação, informa o INE.

No que respeita à faixa etária dos 15-24 anos, esta desigualdade por sexo é praticamente inexistente, ao longo dos cinco últimos anos.

“Estes resultados indicam um esforço de redução das assimetrias no acesso à educação”, sublinha o Anuário Estatístico de Cabo Verde (AECV/2016).

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Expresso das Ilhas, Inforpress,28 dez 2017 11:28

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  28 dez 2017 11:29

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.