Filho de José Eduardo dos Santos em prisão preventiva

Desafio: Produzir mais com menos água

PorAdilson Pereira,24 jan 2018 7:55

No âmbito do workshop internacional sobre “Inovação nos Sectores Agrícola, Alimentar e Florestal”, o presidente da INOVISA, Luís Mira da Silva, apontou o recurso à tecnologia como forma de mitigar os efeitos da seca, numa perspectiva de “intensificação sustentável: produzir mais com menos.”

O evento, que decorreu na cidade da Praia, tinha como objectivo fazer a divulgação dos projectos de inovação já implementados em Cabo Verde, construir novas parcerias nos sectores agrícola, alimentar e florestal, mas também discutir modelos para a implementação de novos projectos e iniciativas.

“O que há hoje em dia é a tecnologia que permite utilizar cada vez menos água para produzir a mesma coisa, ou seja, uma lógica que se costuma chamar de intensificação sustentável: produzir mais com menos”, diz Luís Mira da Silva.

No caso específico da realidade cabo-verdiana, a inovação na área agrícola incide essencialmente sobre os sectores da gestão da água, do aumento da produção, mitigação dos efeitos da seca, mas também de valorização dos produtos agrícolas.

“Se conseguirmos produzir mais produtos agrícolas através de tecnologia e da inovação, e sobretudo valorizar estes produtos agrícolas utilizando menos água, eu acho que estamos no caminho de conseguir tornar esta questão da água um problema menos grave”, defende o presidente da Inovação no Sector Agrícola, Alimentar e Florestal - INOVISA.

Se, por um lado, a escassez de água afigura-se como um problema para Cabo Verde, por outro, na opinião de Luís Mira da Silva, revela-se como uma oportunidade. “Uma oportunidade enorme de tentar fazer mais, melhorar a gestão da água, melhorar a eficiência da água na utilização agrícola”, argumenta.

Conforme defendeu Luís Mira da Silva, a inovação não deve encerrar apenas a questão tecnológica. “Há muitas questões relacionadas, com a organização dos produtores, cadeias comerciais, mas também com a organização de produção, mercado, e tudo isso pode potenciar o sector agrícola em Cabo Verde”, aponta.

“Se eu conseguir valorizar os produtos de Cabo Verde no mercado e conseguir que os consumidores, nomeadamente na área do turismo, mas não só, paguem mais pelos produtos de Cabo Verde estou a apoiar toda a cadeia, e no fim da cadeia de valor estão os agricultores”, enaltece.

Germinação de ideias

Há cinco anos que a INOVISA, rede criada pelo Instituto Superior de Agronomia (ISA – Universidade de Lisboa, Portugal), colabora com as instituições nacionais no domínio da inovação. A colaboração da INOVISA verifica-se no apoio aos docentes, investigadores e alunos visando a criação de um projecto empresarial.

“Temos vindo a construir uma parceria com a Universidade de Cabo Verde, com o INIDA e outros parceiros. Acho que isto é um processo sempre demorado”, reconhece.

O workshop sobre “Inovação nos Sectores Agrícola, Alimentar e Florestal” foi promovido pela SKAN-CPLP, em parceria com a Escola de Ciências Agrárias e Ambientais (ECAA), Instituto Nacional de Investigação e Desenvolvimento Agrário (INIDA) e INOVISA.

A SKAN (Sharing Knowledge Agrifood Networks) é uma plataforma da CPLP (Comunidade dos Países da Língua Portuguesa) que tem por finalidade a promoção de um ambiente estimulante de partilha de conhecimento e de tecnologia entre investigadores, agricultores, empresários e estruturas associativas com ligação aos setores agrícola, agro-alimentar e florestal.

Concorda? Discorda? Dê-nos a sua opinião. Comente ou partilhe este artigo.

Autoria:Adilson Pereira,24 jan 2018 7:55

Editado porNuno Andrade Ferreira  em  24 jan 2018 7:58

pub.
pub

Últimas no site

    Últimas na secção

      Populares na secção

        Populares no site

          pub.